EUA confirma foco de gripe aviária em pato selvagem no estado de Montana

Publicado em 12/01/2017 10:24
93 exibições

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, disse na segunda-feira (9) ter detectado um tipo de gripe aviária em um pato selvagem no centro de Montana que parecia corresponder a uma das cepas encontradas durante um surto da doença em 2014 e 2015, que levou à morte de milhões de aves.

"Esse achado serve como um poderoso lembrete de que ainda há HPAI circulando em aves selvagens, e os produtores e a indústria precisam continuar vigilantes quanto à biossegurança para proteger as aves domésticas", disse Jack Shere, veterinário-chefe do USDA.

A amostra veio de um pássaro colhido por caçadores no condado de Fergus, cerca de 250 km ao sul da fronteira provincial Alberta/Saskatchewan, Canadá.

O pato selvagem infectado em Montana foi encontrado como parte da vigilância de rotina para a gripe aviária, de acordo com o USDA. A agência disse que está ativamente procurando o vírus em operações de aves comerciais, mercados de aves vivas e em outras aves migratórias selvagens, que podem levar a doença sem aparecer doentes.

Diferentes estirpes de gripe aviária, que podem ser transmitidas às aves de capoeira por aves selvagens, foram confirmadas em toda a Ásia e na Europa nas últimas semanas. Autoridades locais, como medida preventiva, abateram milhões de aves em áreas afetadas para controlar os surtos.

A França, que tem o maior rebanho de aves domésticas na União Europeia, relatou surtos do altamente contagioso vírus da gripe aviária H5N neste ano.

Na Coréia do Sul, a rápida disseminação da cepa H5N6 do vírus levou ao pior surto de gripe aviária do país.

Na China, pessoas morreram neste inverno em meio a um surto do vírus H7N9 em aves.

Em 2014 e 2015, os EUA abateu cerca de 50 milhões de aves, a maioria das quais eram ovos, durante o seu ataque de gripe aviária de alta patogenicidade, ou HPAI. As perdas fizeram com que os preços dos óvulos dos EUA atingissem máximas recorde e levaram parceiros comerciais a proibirem as importações de aves poedeiras americanas.

Tradução Larissa Albuquerque

Fonte: Reuters Internacional

0 comentário