Covid-19: Prefeitura de Ipumirim (SC) teme pelo fechamento da Seara/JBS no município e possível abate de 650 mil aves

Publicado em 29/05/2020 16:22 e atualizado em 29/05/2020 18:08 372 exibições
Secretário geral de Administração da Prefeitura afirma que se a planta não voltar a funcionar na próxima segunda-feira (1º), há a possibilidade de fechamento em definitivo

LOGO nalogo

Com as atividades da unidade da Seara/JBS de Ipumirim, em Santa Catarina, suspensas temporariamente após fiscalização Subsecretaria de Inspeção do Trabalho, órgão ligado ao Ministério da Economia, devido a casos de coronavírus, a Prefeitura da cidade teme pelo fechamento definitivo da planta. Além disso, há a possibilidade de abate de 650 mil aves de produtores integrados à empresa, segundo o secretário geral de Administração do Município, Gilmar Biffe. 

Nesta sexta-feira (29) houve uma carreata em Ipumirim, segundo Biffe, de funcionários da unidade fabril, integrados autoridades, lideranças e parte da população, pedindo para que a empresa volte a funcionar. 

 

>> Leia mais: MPT-SC abre ação de danos morais coletivos à Seara/JBS de Ipumirim (SC)

A assessoria de imprensa da JBS foi consultada para confirmar a possibilidade de abate emergencial, redução de alojamento e previsão para reabertura da unidade, mas não respondeu a estes questionamentos específicos. (Confira nota da empresa abaixo)

A planta teve as atividades interrompidas desde o último dia 18, quando fiscais notaram a ausência de distanciamento entre os funcionários na linha de produção e falta de medidas de controle e vigilância para evitar a contaminação por coronavírus entre funcionários.

>> Leia mais: Fiscais do Trabalho interditam unidade da JBS em Ipumirim (SC) por falta de medidas preventivas ao coronavírus

Segundo o secretário, atualmente existem 6 munícipes em quarentena pelo coronavírus, 65 casos confirmados que foram curados, nenhum paciente internado pela Covid-19 e nenhum óbito relacionado à doença em Ipumirim. 

Biffe conta que a Administração Municipal enviou na terça-feira (26) ofício ao Ministério da Economia e Ministério da Fazenda com solicitação de auxílio na adoção de medidas para viabilizar a desinterdição da planta, entretando, ainda não houve resposta.

"Chegou para nós a notícia por parte da empresa sobre fechamento total, sem reabertura futura, caso as operações não voltem na segunda-feira (1º). Há a possibilidade, inclusive, do abate de 650 mil aves dos integrados", afirmou. 

Conforme o secretário explica, a solicitação da Justiça do Trabalho de Concórdia, em Santa Catarina, em decisão liminar emitida na quinta-feira (28), era de distanciamento entre os funcionários da planta em, no mínimo, 1,5m.

>> Leia mais: Justiça do trabalho obriga Seara/JBS de Ipumirim (SC) a garantir distância de 1,5m entre funcionários

"A informação que temos da JBS é de que com esse espaçamento entre os trabalhadores, a produção diminuiria em torno de 40%, e isso deixaria a empresa no prejuízo", disse. 

De acordo com Biffe, a preocupação com a ameaça de fechamento total da unidade fabril vem pelo peso que a empresa representa na economia do município, em torno de 60%, e da possível despensa de 1400 empregados e impacto aos 240 avicultores integrados. 

No ofício enviado ao Ministério da Economia, a Prefeitura de Ipumirim ressalta que volume médio de produção diária da planta é de 280 toneladas de alimentos que abastece o mercado interno e externo com produtos exportados para a Europa, o Japão, Coréia, Africa e Canadá. "Com essa produtividade o faturamento médio diário do frigorífico é de R$ 2.076.130,95, um montante que contribui em 60% para a arrecadação do município".

O QUE DIZ A JBS

"A JBS esclarece que, desde o início da pandemia de covid-19, adotou rigorosos protocolos de controle e prevenção para proteção de seus mais de 130 mil colaboradores em todo Brasil. 

A empresa tem envidado todos os esforços na retomada das operações em Ipumirim-SC e a despeito de todos os ajustes realizados seguirem o protocolo da companhia e estarem em conformidade com as recomendações dos ministérios da Saúde, Agricultura e Economia, sua unidade segue impedida de operar.

A JBS emprega mais de 1.400 pessoas em Ipumirim e mantém contratos de integração com cerca de 240 produtores rurais. 
A Companhia lamenta os efeitos provocados pela insegurança jurídica que se reflete em seus colaboradores, fornecedores e todos os que se relacionam e dependem do funcionamento da unidade. 

A produção de alimentos é atividade essencial neste momento de pandemia conforme Decreto 10.282 e a JBS tem se dedicado na adoção rigorosa de medidas de proteção para cumprir com sua missão de produzir alimentos para a população no momento em que ela mais precisa".

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário