Trigo RS: Produtores trabalham em condições desfavoráveis devido ao excesso de umidade

Publicado em 27/06/2014 10:28 400 exibições

Trigo – A semeadura evoluiu de forma diferenciada entre as regiões, sendo mais lenta do Norte para o Noroeste, devido às chuvas mais intensas durante os últimos dias. Do Centro para o Sul e Fronteira Oeste, o plantio seguiu praticamente normal, alcançando em alguns casos os 80% do previsto. No momento, em termos de média estadual, o percentual de área semeada chega a 61%, marcando uma diferença de 26 pontos percentuais em relação ao período anterior. 

Apesar do aumento significativo, alcançado basicamente entre os dias 15 e 22 do corrente mês, a atual marca fica atrás 10 pontos em relação à média histórica para este período. Nesse sentido, muitos produtores têm preferido trabalhar em condições desfavoráveis, devido ao excesso de umidade, do que perder o período preferencial para o plantio. Vale lembrar que, em boa parte das principais regiões produtoras, esse período se encerra entre o dia 30 deste mês e o dia 10 do próximo. 

Mesmo com as condições desfavoráveis, os triticultores tentam conduzir o processo de semeadura com boa tecnologia, visando altas produtividades e boa qualidade de grão. Nas mais adiantadas, prosseguem os trabalhos de adubações em cobertura e de controle de pragas e moléstias fúngicas. 
Na comercialização do produto, para aqueles que ainda o tem em estoque, a semana registrou recuo de 1,92% no preço médio da saca de 60 kg, sendo pago ao produtor R$ 31,08 pela mesma. 
 
Feijão - A colheita do feijão safrinha no RS tecnicamente está encerrada, restando apenas pequenas áreas, tendo, como destino, o autoconsumo na propriedade. A produtividade surpreendeu positivamente os agricultores emvárias áreas de produção, que obtiveram rendimentos acima do esperado e de boa qualidade comercial, caracterizando-se como tipo 1. Em outras, e de menor volume, ocorreram prejuízos, em decorrência de muita umidade no solo, reduzindo a quantidade e qualidade dos grãos. 

Os negócios vêm sendo realizados de maneira lenta no Estado, em decorrência da queda acentuada dos preços nos últimos períodos, consequência da pressão de oferta, concomitante com a concorrência de produto importado. O preço médio da saca de feijão preto no RS, nesta semana, caiu mais 2,75% em relação à anterior, ficando em R$ 111,40.

Tags:
Fonte:
Emater/RS

0 comentário