Trigo RS: Excesso de chuvas prejudica plantio na região norte e noroeste do estado

Publicado em 04/07/2014 09:47 424 exibições

As intensas chuvas ocorridas recentemente impactaram a cultura de maneira distinta nas diversas regiões do Estado. As áreas mais afetadas se localizam no Norte e Noroeste, em especial nas zonas próximas à divisa com o estado de Santa Catarina. Outras regiões também foram afetadas, porém em menor escala. 
Até o momento, o principal dano relatado, em quase todas as regiões mais afetadas, se refere a problemas decorrentes da erosão causada pelo grande volume de precipitação registrado em curto espaço de tempo, resultando em perdas de fertilizantes e sementes, principalmente em lavouras semeadas dias antes da ocorrência das chuvas. Nas áreas próximas a rios e arroios, as ocorrências mais frequentes foram os alagamentos e inundações. Nesse sentido, cabe ressaltar que muitas delas foram implantadas em áreas não recomendas para tal finalidade. 
Dada à proximidade das ocorrências e mesmo sua continuidade, a quantificação dos prejuízos causados pelas chuvas se torna difícil. Fato que a Emater/RS-Ascar deverá acompanhar à medida que informações mais precisas sobre a evolução das lavouras sejam processadas. No entanto, o principal problema para a atual safra de trigo, ou aquele que poderá ter maior impacto no futuro, se refere ao atraso no plantio. Em todas as regiões produtoras, há relatos de problemas nesse sentido. Vale lembrar que, considerando a média das últimas cinco safras, o percentual deveria alcançar 78% de área plantada, enquanto que a atual não passa dos 65% do total da área, estimada inicialmente em 1,153 milhão de hectares. 
Este fato fica potencializado, uma vez que, na maioria das principais regiões produtoras (80%), o período preferencial para o plantio já foi encerrado. Dentro desse cenário há relatos que dão conta de produtores desistindo de finalizar o processo de semeadura, ou mesmo desistindo do plantio neste ano. No momento existe uma grande probabilidade de que a área de trigo fique abaixo do estimado inicialmente. A Emater/RS-Ascar deverá realizar até fins de julho um novo levantamento para precisar a área efetivamente plantada com esta cultura. 

Leia o boletim na íntegra no site Emater/RS

 

Tags:
Fonte:
Emater/RS

0 comentário