Arrozeiros gaúchos vão ao presidente Lula buscar apoio

Publicado em 11/05/2010 15:22 495 exibições
Setor se mobiliza para garantir recursos que supram as perdas provocadas por danos climáticos

O Setor Produtivo Arrozeiro do Rio Grande do Sul cansou de esperar pela decisão interministerial para a liberação de recursos que amenizem as perdas nas lavouras provocadas pelo fenômeno climático “El Niño”, em 2009 e 2010. Deputados e senadores do estado começam hoje a mobilização para reforçar o pedido da Federarroz para obter uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, onde serão novamente pleiteados os recursos e exposta a situação de inviabilidade produtiva dos agricultores. “Na Depressão Central, região com maior número de lavouras e de pequenos produtores, os prejuízos foram enormes e muitos tiveram sua lavoura totalmente destruída, e estão em situação de desespero”, frisa Renato Rocha, presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul.

O resultado da catástrofe climática foi a perda superior a um milhão de toneladas de arroz no estado, o maior produtor brasileiro, com cerca de 62% da safra anual. Uma força tarefa gaúcha será levada para a audiência, com parlamentares estaduais e federais, representantes do governo gaúcho, prefeitos das regiões atingidas, além das entidades setoriais e produtores. “O momento é de mobilização, pois estamos há cinco meses negociando com o governo federal, participando de reuniões e não há nenhum resultado concreto, só algumas promessas vagas. Para esses produtores que foram atingidos, essa é uma situação de calamidade, que não pode ser tratada com descaso”, reage Renato Rocha.

Os produtores estão solicitando recursos emergenciais para pagamento em dez anos, além de rebate e alongamento dos custeios e investimentos, que começam a ser cobrados pelos bancos. Para Renato Rocha, presidente da Federarroz, de pouco adiantou os contatos com os ministérios. “Já fizemos mais de 10 reuniões com ministros e técnicos, sem que isso seja revertido em resultado prático. Agora vamos ao presidente para ver se ele resolve”. A expectativa dos arrozeiros é de que a audiência aconteça ainda em maio. “O presidente sabe que esse caso é urgente e vai se sensibilizar tenho certeza”, destacou Rocha.

 

Tags:
Fonte:
Federarroz

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário