Uva: Demanda é firme nas roças e no atacado

Publicado em 20/03/2020 16:16
36 exibições

Nesta semana (16 a 20/03), a procura por uvas foi aquecida nas roças e nos atacados, mesmo diante da crescente preocupação com o coronavírus. No caso da Ceagesp, a demanda foi um pouco mais lenta, já que a capital paulista já está com protocolos mais avançados de quarentena. Ainda assim, atacadistas comentaram que houve movimentação satisfatória. Já na Ceasa de Campinas (SP), o fluxo foi bastante intenso. A justificativa é o grande movimento em supermercados e varejões, que precisaram se abastecer mais vezes nesta semana.

Nas roças, além da demanda firme, a oferta ainda é baixa neste mês, o que permite manutenção de boas cotações. A região de São Miguel Arcanjo (SP) foi uma grande beneficiada, já que além da proximidade logística com os centros consumidores do Sul e do Sudeste, houve significativa melhora na qualidade das uvas locais, que foram prejudicadas por chuvas neste início de ano. A itália de São Miguel Arcanjo teve média de R$ 4,67/kg e a niagara, de R$ 4,40/kg nesta semana, altas respectivas de 20,4% e 6% frente à semana passada.

Para as próximas semanas, há preocupações quanto à intensificação da quarentena: como muitos consumidores estão fazendo “estoques” de alimentos, as idas ao supermercado tendem a ficar menos frequentes, reduzindo as vendas de perecíveis, como as frutas. Além disso, a disponibilidade de caminhões pode se reduzir, diminuindo o escoamento, principalmente de praças mais distantes, como do Vale do São Francisco (PE/BA).

Tags:
Fonte:
Cepea/Hortifruti

0 comentário