Mais de 10 entidades do agronegócio pedem ações para atual cenário marítimo-portuário no BR

Publicado em 30/08/2021 11:13 e atualizado em 31/08/2021 10:25
Conselhos e associações pedem reunião urgente com ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e exigem um plano de contingência

Logotipo Notícias Agrícolas

Mais de 10 entidades do agronegócio, através da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), enviaram ao governo federal em nome do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, um ofício em que pedem ações para contornar o atual cenário marítimo-portuário no Brasil, com a falta de contêineres, por exemplo, que tem afetado o comércio do agronegócio.

O ofício é assinado pelo deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR), que é presidente da FPA.

"Há algum tempo os setores produtivos exportadores e importadores têm sobrevivido com a escassez mundial de contêineres e principalmente de navios, fruto de uma concentração das empresas marítimas e aumento da capacidade dos navios, movimento percebido muito antes da pandemia de Covid-19, a qual apenas potencializou esses gargalos", destaca um trecho.

Os impactos na logística global começaram com a pandemia da Covid-19 e seguem impactando as economias.

As entidades, além de destacarem o atual momento vivido no comércio exterior, solicitam reunião presencial com Tarcísio de Freitas, o mais urgente possível, "para tratarmos da falta de navios e de contêineres, em razão do cenário atual que, a nosso ver, exige um plano de contingência por parte dos Armadores que atuam no Brasil".

"Lembramos que as exportações brasileiras são estratégicas para o país. Trata-se, inclusive, em certo sentido, de tema de soberania nacional, quando observamos que as consequências serão impactantes nas nossas exportações/importações, emprego, divisas e inflação, caso, a despeito das dificuldades de mercado, não façamos valer também nossas necessidades imediatas e futuras de crescimento das exportações do agronegócio", pontuam.

Dentre as entidades, estão o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), a Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), além da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e outras.

Nas últimas semanas, o Notícias Agrícolas conversou com especialistas em comércio exterior e fontes do setor agropecuário que destacam o atual momento como um "caos logístico", que não afeta apenas o Brasil, mas toda a logística marítima global. Taxas de contêineres chegam a registrar aumento de até 1000% se comparadas ao ano passado.

Leia mais:
+ Medidas não-tarifárias afetam exportações agrícolas para China
+ Caos Logístico: Safra 21/22 do BR corre risco de sofrer com atraso de insumos pela falta de contêineres
+ Gargalos logísticos no café: Tentando driblar problemas, setor precisa unir forças para atender mercado externo
+ Recorde nos fretes marítimos: Preços de contêineres do BR para China que custavam menos US$ 1 mil já chegam a US$ 5 mil
+ Terminal de Meishan, no porto de Ningbo, é reaberto na China, mas logística ainda preocupa

+ China fecha terminal por caso positivo de Covid-19 em terceiro porto mais movimentado do mundo e alerta logística global

+ Rebocadores trabalham para liberar navio gigante encalhado no Canal de Suez

Veja o ofício na íntegra:

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário