Após decreto que regulariza o bioma Pampa, RS deve avançar no preenchimento do CAR

Publicado em 23/06/2015 12:56 e atualizado em 23/06/2015 13:26 461 exibições

O decreto que regulamenta o Cadastro Ambiental Rural no Rio Grande do Sul deve agilizar o processo de cadastramento dos produtores gauchos que estava emperrado por falta de regulamentação do bioma Pampa. Com a medida, o estado gaúcho que hoje é o mais atrasado no cadastramento de seus agricultores deve avançar no preenchimento do documento.

O decreto foi assinado pelo governador José Ivo Sartori, no Palácio Piratini.
 
“Com certeza absoluta, o Rio Grande do Sul vai sair da lanterna do CAR. Costumo dizer que o povo gaúcho sempre sai na frente em tudo, mas faltava a regulamentação do bioma Pampa. O governo do estado já superou essa dificuldade e ele vai passar na frente rapidamente e finalizar seu CAR”, disse a ministra da Agricultura, Kátia Abreu.
 
O documento que regulamenta o CAR contém, além das regras de cadastramento específicas para os imóveis localizados no bioma Pampa, dispositivos que atendem à legislação ambiental estadual, para permitir que o Rio Grande do Sul avance no número de registros feitos.
 
“O CAR vai se tornar um grande ativo para os produtores e para o país no que diz respeito a mudanças climáticas e proteção ambiental”, observou Kátia Abreu.

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Tem muitas pessoas, inclusive da imprensa, que ainda não entenderam do "por quê" a inscrição no SICAR (que eles chamam abreviadamente de CAR), ser percentualmente maior no Centro-Oeste e até no Norte do país -- onde costumeiramente se referem à parte atrasada do Brasil. O motivo é nada mais, nada menos, o Georreferenciamento que nestas regiões abrange grande parte das propriedades devido à sua extensão. Este ano de 2015 entra em vigor o georreferenciamento para as áreas a partir de 100,0 ha e somente em 2019 as acima de 25 e o restante em 2023.

    Lá pelo ano de 2025 estimo eu, estaremos ainda debatendo este assunto (devido a pouca habilidade com que esta inscrição vem sendo feita, uso de aparelhos de pouca precisão, etc), quando haverá ENORME número de sobreposições dos mapas informados. Risível para qualquer bom entendedor... O Brasil está condenado ao subdesenvolvimento por absoluta falta de administradores profissionais em seus quadros administrativos.

    0