Milho: de olho no clima, B3 e Chicago seguem subindo nesta quinta-feira

Publicado em 07/05/2020 11:59 e atualizado em 07/05/2020 17:03 759 exibições
Chuva e frio podem influenciar nas cotações

LOGO nalogo

A quinta-feira (07) permanece com movimentações positivas para os preços futuros do milho na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam flutuações entre 1,51% e 2,82% por volta das 11h56 (horário de Brasília).

O vencimento maio/20 era cotado à R$ 49,59 com alta de 1,51%, o julho/20 valia R$ 46,79 com elevação de 1,85%, o setembro/20 era negociado por R$ 45,50 com valorização de 2,82% e o novembro/20 tinha valor de R$ 47,60 com ganho de 2,45%.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, as chuvas voltaram em grande parte do Brasil nesta quarta-feira (06), quando os estados do Paraná e Mato Grosso do Sul voltaram a registrar precipitações em regiões que estavam com o milho no ápice do seu estresse hídrico.

“Os problemas climáticos registrados durante a 2ª quinzena de abril em algumas partes do Brasil já afetaram a estimativa de produtividade, ainda assim, a expectativa continua para uma safra cheia no país”, pontua a consultoria.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também operava em alta para os preços internacionais do milho futuro nesta quinta-feira (07). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 4,50 e 5,25 pontos por volta das 11h47 (horário de Brasília).

O vencimento maio/20 era cotado à U$$ 3,17 com valorização de 5,25 pontos, o julho/20 valia U$$ 3,19 com ganho de 5,00 pontos, o setembro/20 era negociado por U$$ 3,25 com elevação de 5,00 pontos e o dezembro/20 tinha valor de U$$ 3,35 com alta de 4,50 pontos.

Segundo informações dos site internacional Farm Futures, a perspectiva de clima frio no Meio-Oeste americano no fim de semana aumentou as preocupações, já que mais da metade da safra de milho está no solo e está sujeita a danos causados ​​pelo gelo.

“Os preços do milho aumentaram à medida que os compradores ficaram preocupados com as classificações das safras. Uma recuperação surpreendente nas exportações chinesas de petróleo no mês passado também sustentou a força do complexo de milho”, diz a analista Jacqueline Holland.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) libera hoje os dados semanais de vendas de exportação. As vendas de exportação para 2019/20 estão previstas entre 1,8 milhão e as exportações para 2020/21 são projetadas um pouco mais altas, de 3,9 milhões a 15,7 milhões de bushels.

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário