Milho cai na B3 após chuva nas regiões produtoras da safrinha

Publicado em 18/05/2020 12:08 e atualizado em 18/05/2020 16:59 487 exibições
Chicago sobe com possível desaceleração do plantio americano

LOGO nalogo

Os preços futuros do milho seguem caindo na Bolsa Brasileira (B3) nesta segunda-feira (18). As principais cotações registravam movimentações negativas entre 0,43% e 0,51% por volta das 11h49 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à R$ 46,65 com baixa de 0,43%, o setembro/20 valia R$ 45,22 com desvalorização de 0,51% e o novembro/20 era negociado por R$ 48,10 com estabilidade.

“Com um mercado físico pouco movimentado, as chuvas dos últimos dias parecem estar ditando o ritmo das negociações na B3 que fechou última semana com queda de 1,39% para os contratos com vencimento em julho/20 e setembro/20”, aponta análise da Agrifatto Consultoria.

“As chuvas e consequentemente a produção total da safrinha ditará o humor do mercado para o segundo semestre deste ano”, completa o reporte diário da consultoria.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) operava com poucas movimentações e resultados em campo misto para os preços internacionais do milho futuro nesta segunda-feira. As principais cotações registravam flutuações entre 0,25 pontos negativos e 0,50 pontos positivos por volta das 11h50 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à US$ 3,19 com alta de 0,50 pontos, o setembro/20 valia US$ 3,23 com elevação de 3,25 pontos, o dezembro/20 era negociado por US$ 3,32 com ganho de 0,25 pontos e o março/21 tinha valor de US$ 3,44 com perda de 0,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os contratos futuros de milho subiram nesta manhã após um fim de semana chuvoso, que pode ter prejudicado o progresso do plantio no cinturão do milho.

“A maioria das áreas do Meio-Oeste recebeu pelo menos 25 mm de chuva desde sexta-feira, com muitas áreas acumulando de 101 a 127 mm de precipitação. Após uma semana de tempo quase encharcado, o progresso do plantio na maioria dos estados do Meio-Oeste pode diminuir no relatório de Progresso da colheita desta semana. A taxa de conclusão da semana passada foi de 67%, 11% superior à média de cinco anos, mas a chuva recente provavelmente aproximará o total de hoje da media”, aponta a analista Jacqueline Holland.

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário