Milho: início da colheita pressiona cotações na B3 nesta segunda-feira

Publicado em 01/06/2020 11:58 e atualizado em 01/06/2020 16:54 436 exibições
Chicago cai com tensão EUA x China

LOGO nalogo

A Bolsa Brasileira (B3) segue operando em queda para os preços futuros do milho nesta segunda-feira (01). As principais cotações registravam movimentações negativas entre 0,50% e 1,60% por volta das 11h56 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à R$ 44,81 com perde de 0,62%, o setembro/20 valia R$ 43,60 com baixa de 0,50% e o novembro/20 era negociado por R$ 46,10 com desvalorização de 1,60%.

O início dos trabalhos de colheita da segunda safra de milho começam a pressionar as cotações do cereal no Brasil, conforme aponta a analise da Agrifatto Consultoria.

“Acompanhando a média dos últimos cinco anos, a colheita do milho 2ª safra em Mato Grosso atingiu 1,5% na última semana segundo o Imea, ainda restam mais de 32 milhões de toneladas a serem colhidas. No Paraná, a colheita do milho 2ª safra atingiu 2%”, diz a nota da Agrifatto Consultoria.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também segue em baixa para os preços internacionais do milho futuro nesta segunda-feira (01). As principais cotações registravam quedas entre 2,00 e 2,25 pontos por volta das 11h44 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à US$ 3,23 com desvalorização de 2,00 pontos, o setembro/20 valia US$ 3,27 com perda de 2,25 pontos, o dezembro/20 era negociado por US$ 3,36 com queda de 2,00 pontos e o março/21 tinha valor de US$ 3,48 com baixa de 2,00 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os futuros do milho diminuíram conforme as tensões diplomáticas entre os Estados Unidos e a China aumentaram no fim de semana.

“A China retaliou as declarações de sexta-feira do presidente Trump sobre o descontentamento do governo com a aplicação das leis de segurança nacional em Hong Kong. As empresas estatais da China suspenderão a compra de soja e porco dos EUA após o anúncio de sexta-feira de que o tratamento especial para Hong Kong terminaria”, diz a analista Jacqueline Holland.

O mercado aguarda agora que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgue seu relatório semanal sobre o progresso da colheita. Na semana passada, 88% da safra de milho do país havia sido plantada, o que estava um pouco abaixo das estimativas comerciais.

“Uma semana de tempo chuvoso no meio-oeste provavelmente verá a maioria dos estados, especialmente no leste do cinturão do milho, lutando para permanecer acima da média de cinco anos no relatório de hoje”, aponta Holland.

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário