BC vê inflação menor em 2017 e cenário fortalece intensificação de corte na Selic

Publicado em 30/03/2017 08:18 86 exibições

LOGO REUTERS

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central passou a ver inflação ainda mais baixa em 2017 e crescimento econômico mais modesto, conforme Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quinta-feira, no qual também deixou claro que vai fazer uma "intensificação moderada" no ritmo de corte dos juros básicos diante da desinflação mais difundida.

No documento, o BC previu alta de 4 por cento do IPCA em 2017 pelo cenário de mercado, abaixo dos 4,2 por cento em fevereiro e do centro da meta oficial, de 4,5 por cento, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para 2018, seguiu projetando avanço de 4,5 por cento, e, para o primeiro trimestre de 2019, a expectativa é de o IPCA subindo 4,6 por cento em 12 meses.

O BC também piorou sua perspectiva para o PIB neste ano, com expansão de 0,5 por cento, contra 0,8 por cento antes.

(Por Marcela Ayres)

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • JOSÉ DONIZETI PITOLI CORNÉLIO PROCÓPIO - PR

    Infelizmente, o Banco Central faz prognósticos futuros olhando o passado. Seus experts, precisam calibrar melhor suas análises com base no presente. Há muito tempo o mercado vem gritando que as taxas de juros estão excessivamente elevadas, que aos níveis atuais não temos condições de fomentar a produção, gerar empregos, pagar impostos. É lamentável, mas tem-se a impressão de que o Banco Central trabalha em favor do sistema financeiro. Mas, se efetivamente o Banco Central está se reportando dessa forma, penso que na próxima reunião do Copom, o corte na taxa de juros deverá ser bastante significativo, digo significativo/expressivo reduzindo em 1 ou 2 pontos percentuais, ou vai permanecer nos míseros 0,25%, isto, será encarado como brincadeira. O tempo é o senhor da razão. Quem viver, verá?

    2