Dólar em trajetória de forte alta com a temperatura interna e externa aumentando

Publicado em 17/05/2019 10:31
1015 exibições

LOGO nalogo

Com a temperatura aumentando em todas as frentes, os mercados financeiros abrem nesta manhã de sexta (17), mais uma vez, como na véspera, tentando sair dos riscos. O dólar passou os R$ 4 na quinta, na alta maior em sete meses, e a B3 despencou para 90 mil pontos, e mostram tendência de seguirem nas mesmas direções.

A divisa americana dispara acima de 1,15%, a R$ 4,084 por volta das 10h50, e o Ibovespa, principal índice acionário da bolsa, recuava perto de 0,10%, e está em leve alta.

A retórica chinesa contra os Estados Unidos, agora sob ameaça de retaliação após o presidente Donald Trump impor mais tarifas aos produtos do país asiático, juntou-se ao cenário interno brasileiro delicado.

Com as expectativas do PIB caindo abaixo de 1% no primeiro trimestre, entre alguns bancos, e o Banco Central igualmente derrubando projeções anteriores, a sexta também reserva os lances de possíveis desdobramentos da quebra de sigilo bancário do senador Flávio Bolsonaro em um ambiente já conturbado pelas manifestações estudantis.

O risco político está presente nas declarações de Rodrigo Maia (DEM-RJ) de que a Câmara vai encaminhar uma proposta de reforma tributária "com DNA" da casa, que além de ser desconhecida em seus detalhes técnicos, já foi desmerecida pelo ministro da Economia Paulo Guedes.

Na soma de tudo, os agentes estão preocupados com o grau de ruptura que pode redundar em problemas na tramitação da PEC da Previdência, a "mãe de todas as reformas".

Mundo

As bolsas asiáticas caíram e o yuan perdeu força frente ao dólar.

Os índices acionários futuros dos EUA seguem baixa. O dólar index em leve alta, na compração com outras moedas fortes.

E o petróleo também esta nervoso, com possíveis desdobramentos da crise EUA-Irã. 

 

Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário