China diz que precisa adotar contramedidas frente às últimas tarifas dos EUA

Publicado em 15/08/2019 08:26 e atualizado em 15/08/2019 09:53
1182 exibições

LOGO REUTERS

PEQUIM (Reuters) - A China precisa adotar as contramedidas necessárias em relação às últimas tarifas dos Estados Unidos sobre 300 bilhões de dólares em produtos chineses, disse nesta quinta-feira o Ministério das Finanças.

O ministério também afirmou que as tarifas dos EUA violam o consenso alcançado pelos líderes dos dois países e se desviam do caminho de negociação para resolver as disputas.

Os EUA afirmaram neste mês que adotariam taxas sobre 300 bilhões de dólares em produtos chineses a partir de 1 de setembro, o que cobriria efetivamente todas as exportações da China aos EUA.

Mas o presidente Donald Trump voltou atrás de parte do plano na terça-feira, adiando as taxas sobre alguns dos itens na lista como telefones celulares e laptops, na esperança de reduzir o impacto sobre as vendas de Natal. Mas as tarifas ainda serão aplicadas a esses produtos a partir de meados de dezembro.

Leia ainda:

>> Contra notícias de recessão, China anuncia crescimento vigoroso em sua economia (Xinhua)

>> Em novo dia de forte aversão ao risco, commodities agrícolas perdem mais de 1%

Índices da China se recuperam e fecham em alta com suporte de tecnologia

LOGO REUTERS

XANGAI (Reuters) - Os índices acionários da China reverteram o curso e encerraram em alta nesta quinta-feira, liderados pelas ações de tecnologia, conforme o país busca independência tecnológica em meio à guerra comercial com os Estados Unidos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,31%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,25%.

Os principais índices abriram em forte baixa após perdas em Wall Street, depois que a curva de rendimentos dos títulos dos EUA se inverteu temporariamente pela primeira vez em 12 anos.

As ações então passaram a subir lideradas pelos ganhos de empresas de tecnologia, com o índice de start-up ChiNext Price fechando com ganhos de 1,2%, depois de chegar a cair 2%.

Os índices de tecnologia da informação e de empresas de telecomunicações avançaram 2,0% e 1,6%, respectivamente.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,21%, a 20.405 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,76%, a 25.495 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,25%, a 2.815 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,31%, a 3.694 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI permaneceu fechado.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,96%, a 10.327 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,68%, a 3.126 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 2,85%, a 6.408 pontos.

Fonte: Reuters

0 comentário