EUA mantém plano de elevar tarifas sobre produtos da China neste 15 de dezembro

Publicado em 03/12/2019 14:14
1653 exibições

LOGO nalogo

Fontes ouvidas pela emissora norte-americana Fox Business afirmaram que os EUA deverão continuar com seu plano de aumentar as tarifas sobre determinados produtos chineses, como está previsto para acontecer em 15 de dezembro. Os dois países trabalham na fase um de um acordo prévio desde outubro, mas ainda sem sucesso. 

Entretanto, apesar da continuidade prevista, também ainda não está descartada a possibilidade de que um adiamento ou até mesmo um descarte desse aumento caso chineses e americanos alcancem um meio-termo. Assim, o dia 15 próximo passou a ser uma espécie de novo prazo para os negociadores das duas maiores economias mundiais. 

"Bem, a menos que haja algum motivo real para adiá-los. Se houvesse um pouco de tempo necessário para mais conversas, provavelmente adiaríamos. Um progresso substancial foi feito, [o Presidente Trump] pode realmente ter que olhar para a situação exata à medida em que nos aproximamos um pouco desse tempo", disse o Secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, à CNBC no começo desta semana.

Leia mais:

>> Trump diz que acordo comercial com China pode ter que esperar eleição em 2020

No conflito comercial que já se arrasta há quase dois anos, as tarifas americanas chegam a US$ 350 bilhões em produtos da nação asiática. E a retirada dessas taxações foi um pedido de Pequim para avançar com o acordo, no entanto, Trump já disse que retirá-las não irá fazer. 

"Se essas tarifas entrarem em vigor realmente, essa guerra comercial fica muito mais longe de um fim e isso deve ser favorável para a formação dos preços (da soja) no Brasil, embora um problema para os preços em Chicago", explicou o analista de mercado Cristiano Palavro, em sua última entrevista ao Notícias Agrícolas. 

O mercado da soja na CBOT segue completamente focado na guerra comercial e nas relações entre China e EUA - que enquanto não se alinham mantêm a demanda da nação asiática distante do mercado norte-americano - no entanto, mantém também um tom bastante cauteloso e sem grande euforia até que as notícias se confirmem. 

Do mesmo modo, no Brasil, os prêmios para a soja se mostram ligeiramente mais altos nesta terça-feira, como informa a Agrinvest Commodities, no entanto, com o mercado ainda mostrando pouco volume de negócios. A demanda pela soja nacional, afinal, segue aquecida e a oferta disponível se mostra cada vez mais ajustada. 

Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário