Funcionário da Funai diz que o órgão continuará demarcando terras e expulsando produtores sem abaixar a cabeça para o Congresso

Publicado em 21/08/2013 14:51 e atualizado em 21/08/2013 17:50
1769 exibições

O Funcionário da Funai, Carlos Travassos, disse em audiência pública na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (20), que a Fundação vai sim expulsar os produtores rurais da Terra Indígena Awá, no Maranhão. Mais de mil famílias já foram cadastradas pelo Governo e podem ser expulsas a qualquer momento. 

Travassos compareceu à audiência pública da Comissão da Amazônia substituindo a Presidenta interina da Fundação, Maria Augusta Assirati, a Guta, que se recusou a comparecer perante os deputados e os produtores rurais que vieram do Maranhão acompanhar a audiência. 

Perguntado pelo Deputado Asdrúbal Bentes, do Pará, onde a Funai reassentará os produtores, Travassos disse que esse não é um problema da Funai. Disse ainda que a Fundação continuará com o seu papel constitucional de demarcar terras e não vai abaixar a cabeça para o Congresso Nacional. 

Travassos tem razão. O papel da Funai é garantir terra para os índios, não é garantir terra para branco. Assista o vídeo e veja com os seus próprios olhos. 

Fonte: Blog Questão Indígena

26 comentários

  • salvador reis neto Santa Tereza do Oeste - PR

    a funai não vai baixar a cabeça nem para coronel, nem para deputado, nem para o congresso ou seja vai continuar passando por cima dos fazendeiros, produtores e pior de tudo por cima dos pequenos agricultores!!!viva a funai, vivas as ongs, viva a cini, viva o governo federal, viva o brasil!!! que merda de pais e esse??? onde o errado e que esta certo e o que esta certo e que esta errado.

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Depois que este site passou para outras mãos, tenho notado que aumentou em muito as divergências entre produtores e outros que participam dos comentários, logicamente sem serem produtores, porque divergem muitas vezes absurdamente e investindo contra o direito de propriedade, garantido pela constituição...(Aliás dentro da politica de jogar uns contra os outros, de uns anos para cá)Eu mesmo notei que meus comentários, a partir do momento que levantei dúvidas sobre a nova orientação deste Canal, foram muitas vezes omitidos e deixados sempre para segundo plano...Lembro-me muito bem da última entrevista minha com o João Batista, quando ele afirmou para que eu continuasse a comentar neste Canal...Dando a entender haver restrições...Obviamente meus comentários, longe de mim, querer valoriza-los, mas este desabafo que ora faço, é valido somente para meu bem estar..

    0
  • MABEL GIARETTA DALASTRA Palotina - PR

    Primeiramente, eu gostaria de parabenizar Rodrigo Fernandes Soares de Tapejara-RS, seu comentário não poderia ser melhor. Todos nós trabalhadores, sejam empresários, produtores rurais, funcionários em geral, todos trabalhamos para conseguir ter uma vida melhor, acredito que poucas pessoas conseguem alguma coisa esperando...cair do céu, ou invadindo o que é de propriedade dos outros. Engraçado que hoje no Brasil, atitudes assim estão sendo vistas como sendo algo normal, "sou um coitado, não tenho terra, vou juntar-me ao movimento sem-terra, pegar bolsas do governo, ou juntar-me aos índios". Tudo isso está acontecendo porque os governantes não tomam atitudes firmes, nosso país vai se afundar cada dia mais se não tomar providências urgentes, e valorizar a população que trabalha, que produz. Posso dizer aqui o que ouvi de um menino de 10 anos á alguns dias atrás, "meu sonho é vender nossas terras aqui no Paraná e comprar nos EUA, porque lá é tudo diferente, lá os agricultores tem valor".

    0
  • salvador reis neto Santa Tereza do Oeste - PR

    tudo bem wilfredo Belmonte não e necessário desmatar, mas dai entregar terras para os índios, em nome da biodiversidade, aqui perto da minha propriedade tem o parque nacional do Iguaçu muito famoso pelas cataratas e também pela sua biodiversidade, são 90 mil hectares e nenhum índio então manda uns 2000 índios pra ca para cuidar dessa riqueza e deixar os produtores e suas famílias trabalhar e viver em paz. a ultima coisa que os índios precisam e das nossas terras tem muito mato brasil afora pros índios cuidarem.

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    Sou gaúcho, conheço o meu estado e boa parte do interior do Brasil, não sou militante de nenhum partido

    político e tão pouco filiado a qualquer ONG, por vocação

    profissional acompanhei o desenvolvimento da agropecuá-

    ria gaúcha e também nacionalmente. Acredito no pleno fun

    cionamento das instituições e da aplicação das Leis de nosso país. Sou terminantemente contra a qualquer tipo

    de invasão tanto na cidade quanto no campo.

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    É uma pena que este espaço seja um tanto quanto limita

    do, não quis de maneira alguma ofender quem quer que se-

    já, mas realmente pude observar através dos anos que o

    nosso modelo está um tanto quanto equivocado, hoje pesquisas de ponta, de profissionais de renome, demonstram que uma mata nativa produz mais que um hectare de soja, e quando digo mata nativa não é no sem

    tido pejorativo de "mato" pois, se a biodiversidade das

    nossas florestas nativas não valessem nada, não teríamos

    tantos estrangeiros praticando biopirataria de "produtos

    das florestas" que nós mesmos desconhecemos. A nossa agricultura chegou em um desenvolvimento impressionante

    graças a uma série de pesquisas e pesquisadores dedicados,e baseado nestas pesquisas e estudos é que se

    pode afirmar que ainda temos muito a fazer em termos de

    produtividade, com assistência técnica adequada não havendo necessidade de busca de mais áreas, bastando para tanto recuperar áreas degradadas e abandonadas para

    que voltem ao ciclo produtivo. Uma mata derrubada e quei

    mada, a perda de toda uma biodiversidade, jamais será consertado e o efeito disto no ambiente já está mais que

    comprovado cientificamente. É algo que não se pode calcu

    lar em termos financeiros. As gerações futuras é que pagarão a conta.

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    Após todos os comentários, gostaria de informar aos

    prezados amigos que embora eu more atualmente em Porto A

    legre, já morei no Mato grosso do Sul, onde trabalhei na

    escola agrícola em Aquidauana, morei em Cuiabá, mesmo

    aqui no Rio Grande do Sul, sempre acompanhei o desenvol-

    vimento da agropecuária de um modo geral. Sou Biólogo por formação e atuo na área. Tenho uma visão bastante

    grande do que foi a ocupação do centro oeste brasileiro,

    desde barra do garça, até sinop. Não sou contra aos agri

    cultores mas, a único coisa que fiz foi expressar a minha opinião a respeito do problema indígena. E, volto a afirmar que a nossa agricultura foi instalada em bases

    predatória, baseada extremamente na monocultura visando

    a exportação de comodites, não agregando valor. Já a mui

    tos anos havia um trabalho científico da Universidade de

    São Paulo que afirmava que um hectare de mata virgem dava muito mais retorno do que um hectare de lavoura de

    soja e se mantinha uma biodiversidade incomparável a qualquer local do mundo. Portanto, invés de me recrimina

    rem por minha opinião, leiam e estudem, pois quem viver

    verá. Aliás mesmo aqui no noticias agrícolas já há avisos de que a China irá superar o Brasil, através da abertura de fronteiras agrícolas na África portanto, vamos continuar teimando em derrubar florestas para plan

    tar soja e vender para quem?

    0
  • Rodrigo Fernandes Soares Tapejara - RS

    Os indígenas, com toda a certeza são o povo nativo do Brasil, porém eles só tem alguma coisa, inclusive alimentos, graças à agricultura forte que se desenvolveu nesse país. É muito bonito seguir o discurso da FUNAI e das ONG's e dizer que a terra é deles. Entretanto essas áreas hoje requisitadas por eles são áreas que já foram abertas e desbravadas pelos agricultores, houve investimentos em abertura de novas lavouras, maquinário, correção de fertilidade, além de muito trabalho para conseguir melhorar a produtividade dessas áreas, além de gerar empregos, pagar impostos e produzir alimentos para o povo indígena, que sequer é capaz de produzir alimentos para a sua subsistência. Então eu proponho aqui uma campanha para quem está apoiando essa doação para os índios, que vendam o seu imóvel e doem para eles, pois com certeza o lugar onde vivem, um dia também foi deles. Isso seria direito? Pois é, então antes de se posicionar através de conversinha barata de ongs e da funai, discursos prontos com interesses excusos, coloquem-se no lugar de quem somente quer trabalhar, pensem, mas pensem muito, sem fanatismo, se vocês seriam capazes dessa "bondade" de dar o que é seu para terceiros. E tem aqueles que dizem que existem propriedades muito grandes e que essas deveriam ser desapropriadas, mas não pensam que só existem grandes fazendeiros porque eles trabalharam muito para chegar aonde estão ou herdaram de famílias que também trabalhar para adquirir as suas propriedades. E para os que ainda não mudaram de opinião, lembrem quem põe a comida na sua mesa todos os dias, não pensem que o leite vem do supermercado, que o pão vem da padaria. E se essas terras forem desapropriadas para os índios, pensem que o litro de leite e o pão de cada dia vai se tornar mais caro devido à menor produção de alimentos no nosso país. Afinal: FOME SE ACABA COM AGRICULTURA FORTE

    0
  • David de Almeida Júnior Mococa - SP

    Ao Sr. WILFREDO B. FIALHO e todos que defendem mais terras produtivas aos descendentes de índios e outras minorias:

    1- Índios que andam pelados e caçam com arco e flechas, merecem todo nosso carinho, respeito e proteção para mantê-los em plena selva. "Índios" que andam vestidos, de automóvel, acessam a internet vivem em casas e querem terras produtivas, são Brasileiros como todos nós e devem ter os mesmos direitos e deveres de qualquer cidadão Brasileiro.

    2 - Os que defendem entregar p/os índios terras produtivas, deveriam dar o exemplo doando todas as suas propriedades, até suas casas, pois todo o Brasil antes de Cabral era selva, pontualmente povoada por aldeias indígenas. É fácil defender doações com as propriedades alheias; doe sua casa, ai também já foi selva e pelo seu raciocínio ela também é dos índios.

    3 - Como muito bem escreveu o Sr. ANTONIO REINALDO SCHNEID, devemos nos guiar pela nossa Constituição

    0
  • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

    Sr. JOAO AUGUSTO , DESCONSIDERE ESTE COMENTARIO QUE FIZ A POUCO ELE SE REFERE AO WILFREDO BELMONTE . DESCULPE .

    0
  • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

    Sr. JOAO AUGUSTO , TENHA CORAGEM E SENHA MAIS CLARO EM SEU NOVO COMENTÁRIO E NÃO SE ESCONDA .

    0
  • JOAO AUGUSTO PHILIPPSEN Santo Augusto - RS

    El bigodon ja tem, falta pouco.

    0
  • marco possenti melnek san albero paraguay - PR

    Ja que vao espulsar os agricultores de suas teras a forsa vamos partir para forsa tambei o negosio e dese a lenha so asin a midia vai mostra no ar ce for na pais els nao mostra eles querei ver bagunsa quebra quebra so asi vai solusiona alguma coisa

    0
  • ANTONIO REINALDO SCHNEID Maracaju - MS

    Ao Sr. Wilfredo e todos os que representam a defesa unilateral nas questões das demarcação de terras indígenas:

    1) Devemos nos guiar no que define a Constituição Brasileira e lá está claro, o que pode e não pode ser feito.

    2) Devemos separar o jóio do trigo, extratificar os casos legais dos da ilegalidade, no que se refere ao direito de propriedade.

    3) Existe toda uma legislação executada pelo sistema cartorial no Brasil, que segue os mandos do governo federal, responsável único pela política cartorial do Brasil.

    4) E por fim, o direito de cada cidadão está garantido na Constituição Brasileira, falta só segui-lá e as questões ditas de conflito se definem, sem susto, sem força, sem violência entre outros. Mas não podemos esquecer, que não é desrespeitando o direito do cidadão, do Congresso Nacional, da Constituição Brasileira, que vamos conseguir a solução desse impasse, muito menos falando grosso ou na porrada, que vamos garantir esse direito, pois esse causa impasse, confronto e atende alguns com interesse anarquista ou sei lá o que.

    A chave está escrita, basta lê-la, sejamos civilizados pois, somos brasileiros e estamos sob a mesma proteção do direito.

    Ministério Público use as ferramentas da lei, sem cor, raça, facção e nem dó, apenas use a Lei por favor.

    0
  • HAROLDO FAGANELLO Dourados - MS

    WILFREDO B. FIALHO, do jeito que você com sua ideologia injusta, pensa as coisas do agronegócio,seus filhos e netos vão ter que, para se alimentar, caçar e pescar junto com os indígenas ou pagar 5 vezes mais pelo alimento escasso que vai existir.Continue com esse pensamento e vá pensando a melhor dessas duas opções para sua decedência.

    0
  • cesar augusto schmitt Maringá - PR

    Po~e esse cara na rua

    0
  • David de Almeida Júnior Mococa - SP

    Infelizmente já aceitamos que nossos deputados não tenham nenhuma credibilidade, que sejam vistos como corruptos, que trabalhem por interesses próprios, ou para consolidar a máfia do PT no poder, que os ditos "oposição" não atuem; tudo isso já faz parte da nossa infeliz rotina política.

    Conclusão não somos uma sociedade e sim um bando acomodado

    0
  • Régis Altmayer Ibirubá - RS

    O Brasil agora é terra sem lei, por que estes funcionários da FUNAI não abedecerão as leis e o próprio congresso NACIONAL. Agora é hora de ir aluta contra esta TRUPE de anarquistas que invadiu BRASILIA se dizendo BRASILEIROS.

    0
  • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

    Sr. Wilfredo Belmonte Fialho , se houve grilagem ou coisa parecida , que sejam identificados , que o governo federal discuta , negocie , pague aos proprietários de boa fé e só assim distribua terras aos indios, quilombolas e outros com direito a terra . Assim não haverá reclamação de ambas as partes . O que não concordamos é com invasões a calada da noite , roubando dos que de boa fé adquiriram e investiram , trazendo desenvolvimento e alimento a toda essa gente que vive neste país . Tambem devemos lembrar que não só nas fazendas existiam índios , quilombolas e outros mas nas areas hoje urbanas onde provavelmente o sr. tem seu imóvel e reside com sua familia , se for invadida qual é sua opinião .

    0
  • roberto carlos maurer Almirante Tamandaré do Sul - RS

    CARLOS TRAVASSOS,TRIPUDIOU E MOSTROU QUE OS DEPUTADOS NÃO PASSAM DE UM BANDO DE PALHAÇOS.VAMOS VER SE ALGUM SEJA HOMEM O SUFICIENTE PARA FAZER VALER O CARGO QUE OCUPA.O CERTO ERA MARCHAR SOBRE A FUNAI INVADIR SEUS ENTREPOSTOS NOS ESTADOS, MAIS QUEM IRIA? MAIS ALGUÉM VIU OU SABE ONDE ESTA A DONA KÁTIA ABREU REPRESENTANTE DO AGRONEGÓCIO??

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    O Brasil não nescessita de mais terras agricultáveis. O

    que deve-se procurar é aumentar a produtividade e retor

    nar ao ciclo produtivo áreas abandonadas e degradadas. Os "índios" podem e devem ter suas terras, é um direito

    secular.O Brasil tem muitas áreas que podem e devem serem ocupadas pelos "índios" pois até mesmo porque são

    os únicos que tem capacidade de viver em harmonia com o

    ambiente e dessa forma manter e preservar a biodiversida

    de que ainda resta intacta. As novas gerações irão agra

    decer muito por este cuidado.

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    É criminoso o que é feito com os descendentes dos verdadeiros donos das terras. Desde o descobrimento do

    Brasil os silvícolas eram os verdadeiros donos da terra.

    Não podemos dar as costas para o que já foi feito em

    termos de exploração agropecuária. Mas todos os brasilei

    ros que tem um certo grau de instrução sabe que a maioria das terras foram expropriadas dos seus verdadeiros donos. Como que alguém pode se intitular dono de dezenas de milhares de hectares de florestas.Quem lhe passou a escritura? A exploração agro

    pecuária principalmente no centro-oeste foi feita a base

    da destruição e aniquilação de uma biodiversidade imensu

    rável, um crime contra a humanidade. Trocou-se esta biodiversidade de espécies por meia dúzia de espécies com retorno financeiro duvidoso e por prazo determinado.

    0
  • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

    DIANTE DESTA FALA , DESTE FUNCIONÁRIO DA FUNAI QUE ESTA A MANDO DA PRESIDENTE DA FUNAI E DO GOV. DO PT , O QUE OS DEPUTADOS DA BANCADA RURARILSTA E OUTROS QUE VEM PEDIR VOTOS EM ÉPOCA DE ELEIÇÃO IRÃO FAZER . SERÁ QUE VÃO ESPERAR RECEBER SUAS EMENDAS NEGOCIADAS COM O GOVERNO PARA NEGOCIAR VOTOS . E NÓS PRODUTORES QUE GERAMOS DIVISAS (DINHEIRO) , EMPREGOS , IMPOSTOS VAMOS FICAR A SUJEITO A ESTAS BARBARIDADES DESTES LOUCOS . CNA ESTÁ NA HORA DO LEVANTE EM FAVOR DO DIREITO A PROPRIEDADE E RESPEITO

    0
  • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

    Está mais do que na hora de cortar as asinhas desta funaizinha..Bando de foras da realidade. Vão se dar mal.

    0
  • JOAO AUGUSTO PHILIPPSEN Santo Augusto - RS

    A Funai não pode ser chamada de poder paralelo, ela é sim um poder absoluto, a guerrilha esta tomando conta. E só para não esquecer, alguem te noticias da Kátia?

    0
  • HAROLDO FAGANELLO Dourados - MS

    Portanto, agora, depois dessa escancarada declaração e bofetadas na "cara"dos Deputados, quem sabe eles abram de vez a CPI da funai e aprovam a PEC 215. Ou abaixem a cabeça e vão para casa dormir....

    0