Confito no Paraná: Índios dizem que invasão foi culpa da Funai

Publicado em 20/08/2014 18:25 2186 exibições

Ministério Público Federal em Guaíra, no oeste do Paraná, se reuniu ontem com os índios que tentaram invadir mais uma propriedade na região no último final de semana. Também participaram da reunião, representantes da Funai que se omitiram durante a ação dos índios. Eles querem saber os motivos que levaram os índios a invadir a propriedade uma vez que havia um acordo no qual os índios se comprometeram a não invadir novas áreas.

Segundo relatado de alguns dos índios que participaram da reunião publicados no portal catve.com, o grupo decidiu invadir a Fazenda porque a Funai e a prefeitura de Terra Roxa descumpriram suas partes no acordo.

De acordo com os índios, as cestas básicas entregues pela Funai e pela Prefeitura de Terra Roxa, além de serem insuficientes, têm atrasado até 60 dias, quando deveriam ser entregues a cada 30 dias. Os indígenas dizem que os alimentos e recursos são insuficientes para todos os moradores, que se veem obrigados a formar novos grupos e partir em busca de uma nova terra.

Ao final da reunião, o MPF informou que irá diligenciar e tomar as providências necessárias para cobrar junto à Funai e à Prefeitura a prestação dos serviços públicos, visando atender às principais reivindicações dos representantes da aldeia, notadamente no que diz respeito à distribuição regular de cestas básicas em número suficiente para atender todas as famílias.

Os índios ameaçam com novas invasões, caso as promessas não sejam cumpridas. 

 

Prefeitura de Terra Roxa diz índios que invadiram fazenda vêm do Paraguai 

Em reportagem à rádio CBN de Maringá, o assessor de comunicação da prefeitura de Terra Roxa, Evendro Mendes, negou que a prefeitura tenha descumprido o acordo feito com os índios, o MPF e a Funai. Mendes disse que todos os índios cadastrados na prefeitura recebem cestas básicas, mas no caso da invasão dessa semana no município, os índios vieram do Paraguai. 

Veja matéria original no site da CBN Maringá: Índios de Terra Roxa relatam atraso na entrega de cestas básicas pela FUNAI e ameaçam ocupar propriedades rurais 

 

 

Índios se armam e montam pequeno exército no interior do Maranhão 

 

Kaapor.jpg

No último dia 06 de agosto um grupo de índios urubu-ka'apor atacou um acampamento de madeireiros na região oeste do Maranhão. Os índios atearam fogo às máquinas e barracos e apreenderam várias espingardas de caça que estavam na posse dos trabalhadores do acampamento. Há meses o Questão Indígena vem alertando para as ações dos urubu-ka'apor em ações de patrulha armada das terras que consideram deles.

De acordo com os, indígenas, nem Exército, nem IBAMA, nem Policia Ambiental e Federal, fizeram tanto pelo proteção do território deles quanto a milícia indígena. O pequeno exército indígena diz estar realizando o monitoramento das fronteiras do seu território, limpando picos e que continuarão realizando missões de vigilância. 

 

 

Fonte:
Blog Questão Indígena

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Antônio Moacir Pfeffer Corbélia - PR

    Eles querem cestas básicas, com alimentos produzidos pelos agricultores, que eles mesmo expulsam de suas propriedades. Moram no território a milhares de anis e não produzem nem para seu próprio sustento. Estão matando as galinhas que colocam os ovos para eles. É de um espanto. Ninguém parece enxergar isso.

    1