Financeiro reage mal a eleições na Europa e contribui para recuo dos grãos na CBOT

Publicado em 07/05/2012 09:20 e atualizado em 07/05/2012 11:22 954 exibições
Nesta segunda-feira, a soja a abre a semana registrando um expressivo recuo nos futuros negociados na Bolsa de Chicago. Por volta das 8h40 (horário de Brasília), a oleaginosa em seus principais vencimentos operava com mais de 10 pontos negativos. O contrato maio, referência para a safra brasileira e que vence no próximo dia 15, era cotado a US$ 14,64, perdendo 10,25 pontos. 

Além da volatilidade pela qual passa o mercado, por conta dos fundamentos positivos de oferta e demanda se deparando com as incertezas sobre a produção norte-americana, hoje o mercado ainda sente a pressão vinda do mercado financeiro, principalmente com as novidades vindas da Europa. 

O milho e o trigo operavam próximos da estabilidade, trabalhando com ligeiras baixas. 

Os resultados das eleições deste domingo na França e na Grécia alarmaram os investidores nesta segunda-feira. As principais bolsas europeias operam em queda diante do temor de que os novos governantes possam alterar o rumo das políticas de austeridade que vinham sendo adotadas. 

Na França, Nicolas Sarkozy deu lugar ao socialista François Hollande, que já prometeu menos austeridade. Na Grécia,  os dois partidos pró-austeridade e pró-europeus gregos, o Pasok (socialista) e a Nova Democracia (direita) perderam para uma formação radical de esquerda, a Syriza, contrária ao memorando de acordo da Grécia com os credores do país, que passa a ser a segunda força política do país, e o partido neonazista Chryssi Avghi (Amanhecer dourado). 

Na Ásia, as principais bolsas de valores também registraram um dia negativo refletindo os resultados na Europa. Analistas afirmam que os investidores temem que os novos governos possam ameaçar o frágil consenso político que manteve a União Europeia intacta durante dois anos de crise econômica. 

"Há grandes temores de que o novo governo na Grécia acabará com as medidas de austeridade e isso levará a uma inadimplência desordenada", afirmou o analista de mercado da OptionsXpress, Ben Le Brun, em Sidney.

Com informações da Veja.com. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário