Grãos: Às vésperas do USDA e com financeiro negativo, mercado recua

Publicado em 09/05/2012 12:20 931 exibições
A soja iniciou a sessão regular em queda na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira. O mercado continua o movimento negativo registrado no pregão noturno e abriu a sessão com perdas de dois dígitos. Porém, por volta de 12h10 (horário de Brasília), a oleaginosa registrava um recuo menos severo do que os do início do pregão, entre 9 e 14,25 pontos. 

O mercado internacional ainda sente a pressão vinda das incertezas e expectativa vindas do mercado financeiro e também do relatório de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga nesta quinta-feira (10). 

Os dados do departamento norte-americano são oficiais e, por isso, influenciam bastante nos negócios em Chicago. Por conta dessa influência, os investidores buscam um melhor posicionamento antes do relatório, o que também contribui para a volatilidade do período que precede a divulgação e resulta em realizações de lucros como as vistas nesta quarta-feira. 

Agentes de mercado apostam em um novo corte para a safra de soja da América do Sul, bem como nos estoques dos Estados Unidos, informações que poderiam provocar novas altas dos preços futuros. A colheita de soja argentina, antes prevista em 49 milhões de toneladas, não deve passar dos 42 milhões, de acordo com expectativas.

Já no mercado financeiro, os negócios seguem refletindo as preocupações após as eleições presidenciais na Grécia e na França, com o caminho a ser seguido pelos novos governantes podendo ameaçar o pacto de austeridade fiscal. Além disso, a baixa das ações europeias foi potencializada pelas informações de que os bancos espanhóis podem ser forçados a levantar fundos para cobrir seus ativos imobiliários.

Diante desse quadro, os investidores mostram-se mais avessos ao risco e migrando para ativos mais seguros, como o dólar, incentivando uma forte alta da moeda norte-americana. Isso faz ainda mais pressão negativa nos preços pois acaba tirando parte da competitividade do produto dos EUA. 

Porém, os fundamentos permanecem altistas. Confirmando isso, a Oil World voltou a reduzir suas estimativas para a safra de soja da Argentina, dessa vez para 41 milhões de toneladas, , um corte de 1,5 milhão de toneladas em relação aos números anteriores. 

Milho e Trigo - O milho e o trigo também operam em queda nesta quarta-feira em Chicago. Os grãos também sentem a pressão do financeiro turbulento e os mercados portanto, são pressionados por vendas especulativas e movimentos de realização de lucros. 

Além disso, a expectativa para o boletim que o USDA divulga amanhã também mantém os traders mais distantes da exposição ao risco. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário