Soja: Aversão ao risco provoca fortes quedas na Bolsa de Chicago

Publicado em 30/05/2012 12:29 1377 exibições
Falta de notícias estimula correção dos preços da soja na Bolsa de Chicago.
Nesta quarta-feira, a soja voltou a recuar na Bolsa de Chicago. As cotações da oleaginosa chegaram a registrar ganhos de dois dígitos por volta das 7h30 (horário de Brasília), porém, começaram a perder força e acabaram passando para o lado negativo da tabela. Por volta das 11h30 (horário de Brasília), os primeiros vencimentos perdiam quase 20 pontos. Já as posições de longo prazo registravam perdas mais modestas. 

O mercado continua bastante complexo e volátil, sensível a diferentes fatores vindos de direções opostas. Além disso, o que se vê hoje já são duas situações: a da safra velha (2011/12) sendo guiada pelo quadro de oferta e demanda, e a da safra nova com foco no plantio 12/13 nos EUA. 

De acordo com analistas, porém, a falta de notícias frescas sobre a oleaginosa faz com que o desempenho negativo de outros mercados, inclusive o financeiro, pesem sobre as negociações da soja. A falta de anúncio de novidades sobre a demanda ou sobre o clima nos EUA acaba limitando as altas ou incentivando um movimento de realização de lucros. 

Além disso, nesta quarta-feira, o macrocenário também vive um dia ruim, com as principais bolsas de valores mundiais em baixa, commodities em queda e alta do dólar. O cenário acaba trazendo, novamente, uma aversão ao risco para os investidores, que acabam deixando suas posições em ativos mais arriscados. 

Como explicou o analista Steve Cachia, da CerealPar, o mercado hoje mostra-se na defensiva diante da ausência de mudanças ou novidades no campo fundamental, mais sensível, portanto à movimentação da macroeconomia. "O comportamento do mercado está assim pelo fato das bolsas de valores estarem no vermelho hoje", reiterou o analista. 

Sendo assim, o momento acaba trazendo cautela, principalmente por parte dos fundos e dos especuladores, consolidando uma postura "clássica de aversão ao risco". Como explicou Cachia, essa queda vista hoje, portanto, nada mais é do que um movimento técnico de correção dos preços influenciado por fatores externos, financeira e economicamente relacionados a euro. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário