Grãos refletem números do USDA e soja lidera ganhos em Chicago

Publicado em 13/08/2013 08:04 e atualizado em 13/08/2013 09:34
2910 exibições

Na manhã desta terça-feira (13), o mercado internacional da soja ainda reflete os números divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) ontem e opera com boas altas. No pregão eletrônico, por volta das 8h (horário de Brasília), os principais vencimentos subiam mais de 11 pontos, com as cotações recuperando importantes patamares de preços após intensas e consecutivas baixas. 

O USDA reduziu suas estimativas de safra de 93,08 milhões para 88,59 milhões de toneladas, os estoques caíram de 8,03 milhões apra 5,99 milhões de toneladas, a área plantada caiu de 31,44 para 31,24 milhões de hectares, e a colhida passou de 31,22 para 30,92 milhões de hectares. 

Assim, o mercado já recuperou o campo dos US$ 12 por bushel para os vencimentos referentes à safra nova norte-americana, com o contrato novembro/13, referência para a temporada nova, valendo US$ 12,38 por bushel, com alta de 13,50 pontos. 

Na esteira da soja e com números também altistas vindos do USDA, os mercados do milho e do trigo também operam do lado positivo da tabela nesta terça-feira, porém, com ganhos bem menos expressivos. O milho sobe pouco mais de 2 pontos e o trigo tem altas ligeiramente superiores a 3 pontos na posições mais negociadas. 

Veja como fechou o mercado nesta segunda-feira:

Soja fecha com forte alta após números do USDA para safra nova dos EUA

O mercado internacional de grãos recebeu com euforia o novo relatório mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a sessão desta segunda-feira (12) com fortes altas nos principais vencimentos. 

A soja encerrou os negócios do pregão regular com ganhos entre 33 e 43 pontos diante de uma redução dos principais indicativos para a nova safra de soja dos Estados Unidos. O departamento norte-americano revisou para baixo produção, produtividade, estoques e os números para área, tanto colhida quanto plantada. 

"Há revisões para os números da safra e muda-se o contexto. Não se inverte o quadro de preços mais acomodados no final do ano, mas muda o patamar de preços, que deve registrar uma melhora", explica o consultor associado da Safras & Mercado, Flávio França. "Esses números foram surpreendentes, principalmente com áreas menores", completa. 

O USDA reduziu suas estimativas de safra de 93,08 milhões para 88,59 milhões de toneladas, os estoques caíram de 8,03 milhões apra 5,99 milhões de toneladas, a área plantada caiu de 31,44 para 31,24 milhões de hectares, e a colhida passou de 31,22 para 30,92 milhões de hectares. 

"É preciso lembrar que esse é o primeiro levantamento da safra 2013 americana e tem mais três relatórios pela frente, isso quer dizer que pode mudar muita coisa ainda, e esses números podem melhorar nos próximos relatórios. Vamos acompanhar o clima, ver as condições e as previsões, que para as próximas duas semanas mostram chuvas, temperaturas amenas, mas algumas regiões com tempo seco", diz França. 

A sessão também foi de fechamento positivo para os mercados do milho e do trigo. O USDA, assim como para a soja, trouxe números menores para os grãos e impulsionou uma alta dos preços na CBOT. Porém, o impacto do boletim foi menor do que o registrado pela soja. 

Na sessão regular desta segunda-feira, o milho subiu mais de 10 pontos nos principais vencimentos. O trigo subiu entre 1,50 e 3,50 pontos nas posições mais negociadas. 

Ao final do dia, o USDA ainda divulgou seu novo relatório de acompanhamento de safra, com números em linha com os divulgados há uma semana, apresentando 64% das lavouras em boas ou excelentes condições. Veja os demais números:

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário