Soja tem manhã calma na CBOT e opera próxima da estabilidade

Publicado em 30/04/2014 07:51 e atualizado em 10/03/2020 11:29 4240 exibições

Depois de altas consecutivas na Bolsa de Chicago, os futuros da soja passam por uma ligeira correção técnica no pregão eletrônico desta quarta-feira (30). As posições mais negociadas registravam ligeiras altas na manhã de hoje, com exceção do contrato julho, que recuava 4 pontos e era cotadoa US$ 15,13 por bushel. 

O mercado internacional da soja passa por um momento de poucas novidades, apesar dos fundamentos positivos e, com isso, vem tentando definir uma melhor direção para os preços. Além disso, essa volatilidade entre os negócios deve permanecer, de acordo com analistas, até que o mercado se volte completamente para as notícias da nova safra dos Estados Unidos, principalmente sobre as condições de clima no país. 

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira:

Soja: Mercado tem dia positivo e altas de dois dígitos em Chicago

Na sessão desta terça-feira (29), a soja fechou os negócios em campo positivo e registrando altas de dois dígitos nos contratos mais negociados. Os ganhos foram de 11,75 e 17,25 pontos e o vencimento julho/14 encerrou o dia valendo US$ 15,17 por bushel, e o setembro, ficou em US$ 13,13. 

O mercado, segundo explicaram analistas, segue refletindo os fundamentos, principalmente sobre a demanda pelo produto dos Estados Unidos. Os estoques disponíveis do país se encontram em níveis historicamente baixos e as vendas e embarques norte-americanas estão acontecendo em ritmo bastante acelerado. 

Segundo o último boletim de embarques semanais divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), o total de soja embarcado já passa de 41 milhões de toneladas, enquanto a projeção do departamento para as exportações em todo o ano safra são de 43 milhões de toneladas. A temporada comercial, no entanto, só se encerra em 31 de agosto. 

"O mercado não conta com novidades, mas o fato de não haver notícias se movimentos de washouts por parte da China já reforça o que sabemos e a importância dessa demanda. Além disso, os estoques disponíveis dos EUA permanecem baixos", explica Steve Cachia, analista de mercado da Cerealpar. 

Especulações sobre o clima nos Estados Unidos também começam a ganhar parte da atenção dos investidores. As previsões indicam a continuidade de um tempo mais úmido e frio para o Meio-Oeste norte-americano nas próximas semanas, o que poderia prejudicar o bom andamento do plantio da nova safra do país. 

Em Madison, capital do estado de Wisconsin, o tempo ficará nublado e há possibilidade de precipitações nos próximos 10 dias, conforme previsões do site internacional de meteorologia, AccuWeather. As temperaturas deverão ficar entre 11ºC até 18ºC. Já em Des Moines, em Iowa, também há possibilidade de chuvas nos próximos dias. 

Mercado Interno

o avanço dos preços em Chicago nesta terça-feira motivou uma movimentação mais expressiva dos negócios no mercado interno brasileiro. Assim, quase todas as principais praças de comercializaçao do país atingiram um melhor ritmo de vendas. 

Entretanto, ainda assim se registra uma demanda muito firme pela soja brasileira. somente no primeiro trimestre desse ano, a China foi responsável por 83% dos embarques realizados pelo Brasil, o que equivale a 7,5 milhões de toneladas, e do total, 37% foi de soja de Mato Grosso, de acordo com números do Imea (Insitituto de Economia Agrícola Mato-grossense). A média de preços praticados no mercado de Mato Grosso é de R$ 53,87 por saca, sendo 16% maior do que a registrada no mesmo período de 2013.

Nesse ano, ainda de acordo com informações da entidade, os gargalos logísticos na infraestrutura do Brasil foram sentidos com menos intensidade nessa temporada e estimularam as compras dos importadores feitas no Brasil. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário