Soja: Mercado tem mais números fortes da demanda e volta a subir em Chicago nesta 5ª feira

Publicado em 11/08/2016 13:47
656 exibições

Os números do novo reporte semanal de vendas para exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), bem como novos anúncios de vendas americanas parecem ter dado algum estímulo às cotações da soja na Bolsa de Chicago e o mercado que, mais cedo, operava com estabilidade, passou para o campo positivo. 

Os principais contratos subiam, por volta das 13h15 (horário de Brasília), entre 3 e 8 pontos, levando o setembro/16 a US$ 10,03 por bushel e o novembro/16, o mais negociado e referência para a safra americana, a US$ 9,85. Os ganhos mais expressivos eram registrados pelas posições mais próximas. 

Nesta quinta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou sobre novas vendas de soja em grão e farelo, com operações já com volumes da safra 2017/18. 

De acordo com o anúncio, foram vendidas 249 mil toneladas de soja do ano comercial 2016/17, sendo 120 mil para a China e 129 mil para destinos não revelados. Além disso, os EUA venderam ainda 100,460 mil toneladas de farelo para o México, sendo 72,122 mil da temporada 2016/17 e mais 28,338 mil da 2017/18. E nesta semana, o USDA já informou as vendas de outras 366 mil toneladas de soja. 

Além disso, o boletim semanal de vendas para exportação do departamento agrícola norte-americano também foi divulgado e trouxe números fortes e acima das expectativas do mercado. 

Na semana encerrada em 4 de agosto, os EUA venderam 3.100,200 milhões de toneladas de soja em grão e o volume superou as expectativas do mercado, que eram altas e variavam entre 2,1 e 2,9 milhões de toneladas. Do total, a maior parte foi da safra 2016/17, sendo 2.792,2 milhões, com a maior parte sendo adquirida pela China. Já da temporada 2015/16, foram vendidas 308 mil toneladas, com o Vietnã como maior comprador. 

Entretanto, como um limitador dos ganhos está a postura defensiva do mercado diante da espera pelo novo reporte mensal de oferta e demanda que chega nesta sexta-feira, 12 de agosto, também pelo USDA. 

O reporte que sai  amanhã é aguardado pelos traders e pelos investidores, e dessa vez com um pouco mais de ansiedade já que traz, pela primeira vez nessa temporada, números de produtividade baseados em pesquisas de campo. E as expectativas do mercado, apesar do elevado potencial esperado para a safra americana 2016/17, acabam não convergindo para o mesmo lugar neste momento, mantendo, ao menos neste início de dia, o mercado de grãos ainda mais tranquilo.

Tags:
Por Carla Mendes
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário