EUA: Produtividade média da soja ainda pode subir, diz produtor de Illinois

Publicado em 22/08/2016 10:54 e atualizado em 31/08/2016 12:59
4239 exibições

O Notícias Agrícolas, em parceria com a Labhoro Corretora, está percorrendo o Meio-Oeste dos Estados Unidos para conferir a safra 2016/17 de grãos e os resultados, até este momento, têm sido surpreendentes. As condições de clima - chuvas na medida certa em quase todo o Corn Belt e temperaturas amenas, variando entre 22ºC e 25ºC - além dos excelentes níveis de umidade do solo, os quais podem ser constatados nas primeiras caminhadas próximas às lavouras norte-americanas, têm permitido uma boa conclusão do milho e criado um ambiente bastante favorável para o enchimento de grãos na soja. 

Segundo David Shragal, presidente de mercado do Wells Fargo Bank e produtor rural em Galesburg/Illinois, nestas condições e com sua continuidade, a produtividade média da soja poderá ser revisada para cima em relação ao último número projetado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de mais de 48 bushels por acre (55,45 sacas por hectare). "Nesta região, a produtividade pode chegar a alcançar até mesmo os 70 bushels por acre (79,37) sacas/hectare), diz. 

Veja ainda:

>> EUA 2016/17: Safra de soja vai bem e pode até melhorar a produtividade média, acredita produtor de Illinois

Por outro lado, e apesar desse quadro climático perto de ser perfeito para a nova safra americana, Shragal aposta em uma ligeira queda no rendimento médio do milho, dos atuais 175,1 bushels por acre (185,32 sacas por hectare), para algo próximo de 173 bushels/acre (183,1 sacas/ha), em função de alguns problemas pontuais em regiões específicas. A mudança, entretanto, seria insuficiente para alterar o quadro de uma produção robusta do cereal. 

O produtor relata ainda que a saúde das lavouras nesta temporada é bastante interessante, além de as plantas contarem com raízes profundas e bem estabelecidas. Além disso, os campos contaram ainda com boas chuvas em julho "e, como dizem, rains makes grain", ou, "chuvas fazem grãos". Não só em Iowa, mas também em Illinois, a colheita do milho deverá começar em, aproximadamente um mês, e a da soja, em cerca de seis semanas. 

O tour já completa, em três dias, mais de 1600 quilômetros rodados entre os estados de Iowa e Illinois, os dois maiores produtores de grãos dos Estados Unidos. Para a analista de mercado Andrea Sousa Cordeiro, da Labhoro Corretora, o otimismo dos produtores norte-americanos neste ano está evidente. "Nem eles mesmos acreditam que irão colher uma safra deste tamanho. Além de tudo, ainda estão apostando muito na força da demanda - não só da China, mas também de outros países, como a Índia -  e já sabem que irão exportar mais", relata. 

Além disso, Andrea destaca ainda uma postura muito mais "globalizada" do agricultor dos Estados Unidos este ano. "Diferente de outros anos, os produtores estiveram atentos ao que aconteceu na nossa safra, na safra da Argentina e, principalmente na safrinha brasileira de milho e isso é muito importante. Isso mostra que ele está a frente", explica a analista.

Missão Mulheres do Agronegócio

Este ano, a tradicional Missão Mulheres do Agronegócio, realizada anualmente pela Labhoro, tem como empresa parceira o site Notícias Agrícolas. Durante os 12 dias de tour, o grupo constatará as condições de lavoura de soja e milho, solo e clima da região e as diferenças geográficas, culturais e tecnológicas entre os Estados Unidos e Brasil, desde o sistema de armazenamento, maquinário, instalações, estradas e malha ferroviária.

A Labhoro Corretora foi pioneira no Brasil em programar tours específicos para mulheres e os realiza há quase 10 anos. Para o público em geral, o tour deste ano comemora 25 anos com sua Edição de Prata. 

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário