MT: Mesmo com fim do vazio sanitário, momento é de cautela

Publicado em 13/09/2016 17:15
154 exibições
Quebra da safra do milho exige um cuidado maior na hora do plantio da soja, alerta presidente da Aprosoja

O Vazio Sanitário termina em Mato Grosso no dia 15 de setembro. Após a data, os produtores estão liberados a iniciarem o plantio da safra de soja 2016/2017. Ainda assim, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Endrigo Dalcin, alerta que é preciso cautela.

“O ideal é o produtor esperar. Primeiro, porque nós temos incertezas quanto à quantidade de sementes que estarão disponíveis. Em caso de necessidade do replantio, pode haver perda na germinação e também ter poucas variedades. Em segundo lugar, o produtor esse ano não pode errar na safra de soja. Nós precisamos muito que Mato Grosso colha uma boa safra para recuperar toda a perda ocorrida tanto na de milho como na safra anterior de soja”, avalia Dalcin.

Segundo dados divulgados pela Aprosoja na semana passada, levantados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a redução da produção de milho neste ano no Estado chegou a 26,21%, causando uma possível perda de arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de R$ 272,75 milhões.

O principal fator desta quebra na safra de milho, destacou o trabalho do Imea, foi o clima, que volta como ponto preocupante para a soja.

“Nós não temos previsões de chuvas para esses próximos dias, pelo menos até o final do mês de setembro. Então é muito arriscado produtor colocar, como se dizia no passado, ‘plantio no pó’. Nós precisamos que o plantio seja feito com condições de umidade no solo. E mais que nunca, o produtor tem que aguardar, não pode arriscar. O risco significa o lucro ou não da propriedade, já que nós estamos hoje com os preços caindo em Chicago, remuneração está duvidosa em Mato Grosso, a margem começou a ficar apertada, câmbio descendo. Então, são muitos fatores contra o produtor e ele precisa ter produtividade”, pondera o presidente da Aprosoja.

O plantio por regiões – Para avaliar de forma mais segmentada, a Aprosoja também ouviu os vice-presidentes de cada região produtora de Mato Grosso, para entender como está o “sentimento” a respeito do fim do Vazio Sanitário.

No caso do Norte, o vice-presidente Emerson Zancanaro afirma que os produtores estão planejando a safra com a maior cautela possível. “Na região como um todo o sentimento é de cautela. Alguns produtores devem iniciar o plantio a partir de 20 de setembro, data em que começam a haver previsões de chuva. A expectativa, no entanto, é que seja mantida a cautela para mitigar os riscos e evitar o que ocorreu no ano passado, quando plantaram logo após o vazio. Este ano, a postura é conservadora e ortodoxa”.

Do Oeste, o vice Lucas Paludo afirma que no início deste mês houveram chuvas na região, principalmente em Sapezal e Campos de Júlio.

“Por aqui o pessoal está muito interessado em começar a plantar. Dias atrás tivemos um volume de chuva considerável, que estabeleceu alguma umidade no solo, embora por agora já tenha diminuído. No momento, posso dizer que não há condição de plantar”, afirma.

Apesar da precaução, na Região Sul é provável que os produtores já comecem o plantio. “Tem muitos que estão realmente com cautela. No ano passado houve muito replantio, exatamente porque os produtores arriscaram. Porém, arrisco a dizer que uma parcela começará sim o plantio imediatamente após o fim do vazio, mesmo porque tivemos boas chuvas na semana passada e ainda tem umidade no solo”, explica o vice Sul, Arthur Flumian Braga.

Diferente do Oeste e Sul, a Região Leste deve agir com uma das maiores cautelas possíveis. Isso porque o local foi um dos que mais sofreu com seca em 2015. “Eu acredito que vamos começar o plantio depois do dia 20 de outubro. Por agora, não há nem cogitação de plantio. Não podemos passar pelo que passamos no ano passado”, afirma o vice da região, André Bonmann.

Fonte Aprosoja MT

Nenhum comentário