Diário de Viagem Argentina 2017: Melhor produtividade pode compensar perdas com alagamento

Publicado em 24/01/2017 10:17 e atualizado em 27/01/2017 10:56
1136 exibições
Nesta semana, o Notícias Agrícolas faz um crop tour pelas regiões produtoras argentinas em parceria, mais uma vez, com a Labhoro Corretora. Acompanhe!

4º dia (26 de janeiro)

Por Ginaldo Sousa e Daniel Olivi

Saímos de General Pico em La Pampa depois de rodarmos algumas áreas da região, subimos pela Ruta 70, pegamos a Ruta 33, passamos por algumas cidades como General Villegas, Piedritas, Rufino, cruzamos a Ruta 7, entramos pela Ruta  em Santa Fe por Rufino, Venado Tuorto e vimos pernoitar em Rosario. No trecho inicial vimos lavouras que consideramos boas, mas em General Villegas e Piedritas  encontramos varias   áreas alagadas e perdidas, embora muitas dessas áreas sejam de pastagem. As áreas que não foram atingidas pelas chuvas estão muito boas e foi aí  que entramos em Santa Fe, ao lado de Rufino, onde já não existem alagamentos, que encontramos uma empresa bem instalada com uma boa capacidade  de armazenagem, beneficiamento etc e paramos. Conversamos com um dos sócios. Sr. Fernando, que nos deu boas informações. O mesmo nos disse que toda a área Sul da Argentina que teve seca e tão comentada, que estas áreas são tipicamente áreas de trigo e têm muito pouca soja. Nos disse que este ano o produtor Argentino devidamente capitalizado, fez um plantio tecnicamente perfeito, embora com atraso, mas que se as condições climáticas daqui para frente forem normais, esta safra será superior a do ano passado que foi a segunda maior safra da historia Argentina. Nós lhe perguntamos mesmo com uma área grande que ficou sem plantar? Ele nos respondeu categoricamente que sim, fala-se muito de uma área de 500 mil e até 1 mi de hectares, não importa, diz ele, a produtividade compensará as perdas por áreas perdidas.  Nos disse ainda que  sua região colherá, se o tempo for favorável, acima de 4 mil quilos por hectare. No ano passado, a Argentina colheu 56 mi milhões de toneladas de acordo com a Bolsa de Cereales e 56,6 milhões de acordo com o USDA. Vamos esperar. O tempo continua seco e muitas áreas precisam de chuvas.

3º dia (25 de janeiro)

Por Ginaldo Sousa e Daniel Olivi

Saímos de Villa Maria em Córdoba e viemos para General Pico em La Pampa. Verificamos, no trajeto de Córdoba,  alguns pontos de alagamentos, embora isolados, mas sem dúvida encontramos as melhores lavouras da Argentina neste ano em todo o trajeto que já realizamos.  Descemos pela Ruta 4 em direção ao Sul, passamos por Charzon, Eufemia, Laboiale, Melo e do lado de General Villega, um dos pontos mais alagados que tínhamos identificados  há duas semanas atrás, devido a um vídeo Áereo divulgado pela internet, onde chamava atenção para os alagamentos da Região. Sem dúvida a província de Córboba teve e ainda tem alagamentos da época, mas nada comparável com o que vimos no Norte de Santa Fé.  A província de La Pampa também está bem úmida e as lavouras estão muito boas. Nesta quinta-feira (26), vamos seguir para o Sul, cruzando de oeste para leste para verificarmos a parte seca do Sul, principalmente a Província de Buenos Aires, que é a mais expressiva em termos de soja e planta algo como 6.5 mi de hectares.

No link abaixo, confira mais fotos sobre a safra 2016/17 do país:

>> Argentina: Imagens mostram que a irregularidade marca a safra 2016/17

 

 

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

2º dia (24 de janeiro)

Por Ginaldo Sousa e Daniel Olivi

Rodamos 630 km, saindo da Cidade de Santa Fé, em direção a Rafaela onde vimos lavouras pequenas devido ao plantio tardio, áreas ainda falhas.  No caminho paramos numa cerealista que comercializa algo como 800 mil tons de grãos e conversamos com o pessoal. O agrônomo nos deu boas informações dizendo que havia muitas perdas na região por excesso de chuvas e áreas que forram totalmente alagadas. De fato e logo a seguir podemos constatar isso onde por 40 km lineares, só encontramos lavouras debaixo d'água e sem nenhuma chance de recuperação.  Passamos Rafaela e paramos em San Francisco, onde almoçamos. Em todo esse trajeto, verificamos que a região realmente sofreu pelas chuvas e que tem perdas irrecuperáveis. De San Francisco até Córdoba em direção ao oeste do país as lavouras melhoraram bastante, onde cruzamos Rio Primeiro, e Rio segundo municípios de grande produção, tudo isso pela rodovia RN 19. Em Córdoba tomamos a direção de Villa Maria onde pernoitamos e verificamos nesse trajeto alguns pontos embora isolados, mais ainda alagados. Pode parecer até um paradoxo, mas algumas áreas alagadas e que nos últimos 12/15 dias,  não receberam chuvas nas partes mais altas, agora precisam de chuvas, devido as altas temperaturas de 32/35 graus. Nesta quarta-feira (25), seguiremos em direção ao Sul e vamos a LA PAMPA, onde vamos verificar também as áreas secas da região SUL para fazermos uma avaliação final da safra.

Santa Fe - A região norte de Santa Fé, planta algo como 1.3 mi hectares  e de um total total de 3.5  mi hectares na província.  Percorremos hoje de manhã o trecho entre a cidade de Santa Fé, passando por Rafaela e até San Luiz, equivalente a 270 km. No trecho, Entre Rafaela e San Luís, de 160 km, tivemos 40 km lineares de áreas totalmente alagadas e perdidas. No contexto regional, isso representa algo um pouco mais de 3 %, embora saibamos que nessa região,a área alagada possa alcançar os 75/ 80 mil hectares. Para a região é muito, mas no total de produção do país, representa pouco. O resultado das áreas alagadas só saberemos amanhã à noite. Na quinta e sexta-feira vamos percorrer as áreas secas localizaras Sul. Não dá para mensurar Ainda as perdas da Argentina, pois depende de muita chuva.

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

Argentina 2017 - Chuvas - Região de Santa Fé

 

1º dia (23 de janeiro)

Por Ginaldo Sousa e Daniel Olivi

Hoje estamos em Santa Fé onde pernoitamos e temos como direção no dia passarmos por Rafaela na Província de Santa Fé, depois vamos para Córdoba e de lá viramos em direção ao Sul onde vamos pernotar em Villa Maria. Ontem saímos de Buenos Aires em direção ao norte, depois pegamos a Província de Entre Rios - é bom lembrar que estas áreas do norte de Buenos Aires e Entre Rios até 15 dias atrás estavam alagadas. Entretanto, como nos últimos 10 dias as mesmas não receberam chuvas,o solo já  enxugou. Passamos por Ceibas, pegamos a rota 12 seguindo até Vitoria onde viramos e pegamos a rodovia para Rosário e de lá viemos até a cidade de Santa Fé onde pernoitamos.  As áreas de Entre Rios não são expressivas e constatamos os alagamentos recentes, o que de fato aconteceu, onde verificamos soja  de todos os portes, as mais velhas em estado de floração e inclusive ainda tinha produtor plantando. A soja mais velha recebeu muita chuva em sua fase inicial e não tem raízes profundas, agora precisa de chuvas para manter o ciclo. As altas temperaturas acima dos 32 graus estão fazendo as plantas sentir falta de umidade.  Encontramos lavouras ruins em Entre Rios , lavouras razoavelmente boas e lavouras boas, com alto potencial de produtividade. Hoje vamos efetivamente entrar nas áreas de grande produção, onde teremos uma avaliação melhor. Uma coisa é certa, precisa chover nos próximos dias, caso contrario as perdas serão mais significativas.

Nos links abaixo, confira as primeiras imagens e informações colhidas na Argentina:

>> Argentina 2017: Notícias Agrícolas e Labhoro Corretora chegam para conferir os impactos das chuvas

>> Soja: Com excesso de chuvas na fase inicial, lavouras têm raízes superficiais na Argentina

>> Áreas alagadas ao norte de Santa Fé com perdas consolidadas, porém com representatividade pequena no total de produção Argentina

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

Fotos desta quarta, dia 25, na região entre Villa Maria e General Pico. Lavouras com bom potencial produtivo e algumas áreas isoladas alagadas

 

Tags:
Fonte: Notícias Agrícolas + Labhoro

0 comentário