Soja testa até R$ 86 nos portos do Brasil com altas na CBOT; mas produtores seguram vendas

Publicado em 29/05/2019 11:14 e atualizado em 29/05/2019 11:52
8303 exibições
Chicago ameniza ganhos, porém, continua observando previsões ainda de muitas chuvas

LOGO nalogo

A disparada dos preços da soja na Bolsa de Chicago fortalecem também as cotações no Brasil nesta terça-feira. Os ganhos já eram mais amenos por volta de 11h (horário de Brasília), de pouco mais 17 pontos nos principais contratos, enquanto mais cedo superavam os 30 pontos, mas resultavam em referências mais altas, principalmente nos portos brasileiros. 

Os indicativos começavam a trazer algo entre R$ 85,00 e R$ 86,00 por saca, porém, com poucos negócios sendo registrados. "Não há vendedores, e os produtores já esperam patamares mais altos, como algo entre R$ 88,00 e R$ 90,00 na posição agosto", como explica o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting. 

Além das boas altas em Chicago, os prêmios também seguem fortes, na casa dos 110 pontos sobre os valores praticados na Bolsa de Chicago - os quais tendem a continuar se valorizando - e o dólar se mantém na casa dos R$ 4,00, mesmo com uma leve baixa sendo registrada nesta quarta-feira. 

BOLSA DE CHICAGO

Os preços da soja dispararam nesta quarta-feira (29) na Bolsa de Chicago depois dos fracos números do avanço do plantio nos EUA atualizados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) no final da tarde de ontem. 

A área norte-americana está apenas 29% semeada, contra 74% do ano passado, nesse mesmo período, e frente aos 66% da média das últimas cinco safras. As expectativas variavam entre 28% e 30% da área. 

Assim como no caso do milho, Illinois e Indiana também chamam a atenção, com o plantio em apenas 14% e 11%, respectivamente, enquanto em 2018 eram 89% e 85%. Na média dos dois estados, eram 70 e 63%.

O USDA informou ainda que são somente 11% das lavouras de soja que já emergiram, contra 44% do mesmo período do ano passado, e 35% da média dos últimos cinco anos. 

"Os mercados de grãos estão focados no mesmo velho conhecido - o plantio, que permanece bem atrás do ritmo médio, e uma previsão que não parece trazer nenhum alívio. As questões a serem avaliada agora são quanto da área foi perdida e qual é o impacto no potencial de produção", dizem os especialistas da consultoria internacional Allendale, Inc. 

Ainda segundo a consultoria, os fundos investidores  diante desta condições de clima tão ruins para a nova safra dos EUA continuam seu movimento na ponta compradora do mercado. Somente ontem, compraram 13,5 mil contratos de soja, 11 mil de trigo, 475 mil de milho, 9,5 mil de farelo e 4,5 mil contratos de óleo de soja. 

E atenção às previsões climáticas. Os mapas continuam mostrando muito mais chuvas para as próximas duas semanas no Corn Belt. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Luan Henrique Guimarães do Nascimento Taquarituba - SP

    Isso mesmo senhores produtores, segurem estas vendas, pois a soja tem fundamentos para subir ainda mais.

    Se não fosse a Conab, esses valores já estariam na casa dos R$ 90,00 reais nos portos, ela tem coragem de mudar a previsão dos estoques para cima, prejudicando assim o produtor brasileiro.

    Aguardem até a próxima semana.

    2
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Luan, voce esqueceu de avisar o pessoal que o aumento dos estoques brasileiros ocorreu em cima da diminuição da exportação de soja, que passou de 70 para 68 mi de ton. Nota: A Abiove fez também exatamente a mesma diminuição da Conab. Mais ainda, a exportação estava subindo até abril, agora em maio vai cair em torno de 13%. Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay... isso se deu logo depois que os chineses bajularam o vice presidente Mourão, que, ao contrário do presidente Bolsonaro, quer estreitar laços com a China e não com os EUA.

      8
    • dejair minotti jaboticabal - SP

      China com seus estoques, possibilidade de fazer triangulação com outros países asiáticos para compra da soja americana, dólar sem perspectiva de escalada com a politica assinalando aprovações de pauta da previdência e administrativa.Chineses são comerciantes milenar e não vão jogar dólar fora. Atingiu a margem satisfatória, é bom fracionar vendas e fazer preço médio adequado. Não se esqueçam do velho ditado: São uns leões na alta e uns cagões na baixa.... (aceitam-se contestações inteligentes, principalmente daqueles que praticam inteligencia de mercado)... assim todos saem ganhando, uma vez que o especulador vai ganhar de qualquer jeito.

      1
    • Liones Severo Porto Alegre - RS

      As exportações de soja brasileira para a China iguala-se ao volume do ano passado, quando embarcamos quase 70,0 mmt do total das 84,0 mmt exportadas. Ademais, os chineses pagam um premio acima de us$ 1,00 por bushel, o que não existe em nenhum lugar do mundo. A importação de soja pela China deverá se igualar ou até superar o ano anterior. O baixo preço da soja fez o consumo de farelo de soja disparar, aumentando seu percentual nas rações, pela superação de rendimento dos planteis em comparação com outros farelos proteicos.

      2