HOME VÍDEOS NOTÍCIAS METEOROLOGIA FOTOS

Brasil terá mais soja não transgênica em 22/23 com demanda da UE e prêmio em alta, diz ISL

Publicado em 23/06/2022 16:44 e atualizado em 23/06/2022 17:45

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de soja não transgênica do Brasil na nova temporada (2022/23) deverá crescer 24%, em ritmo muito superior ao da área total semeada, formada em sua grande maioria por grãos geneticamente modificados, com uma demanda maior da Europa levando à forte alta nos prêmios do grão convencional, de acordo com estudo do Instituto Soja Livre (ISL).

Além da demanda crescente europeia por produtos não transgênicos, o Brasil deverá ocupar espaço deixado pela Índia, que planta somente soja convencional e tem limitado embarques de produtos agrícolas, em momento que os preços de óleos vegetais dispararam.

Outro fator citado pela ISL é recente movimento da Bunge no Brasil para operar unidades industriais da Imcopa, que processa somente grãos convencionais, uma demonstração da aquecida demanda externa.

"A soja que a Índia produz é toda convencional, mas vendida para a Europa sem prêmio, sem sustentabilidade... e agora com a pandemia, a Índia fechou suas fronteiras para exportação de alimentos e gerou essa demanda extra (para o Brasil)", disse o diretor de Relações Internacionais do ISL, Endrigo Dalcin, à Reuters.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário