Cana-de-Açúcar: Centro-Sul processa 70,7 mi de t até o dia 1º de junho

Publicado em 14/06/2012 14:51 362 exibições
Condições climáticas dificultam a colheita da cana na região Centro-Sul.
Mantendo a tendência já observada nas quinzenas anteriores, a moagem pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do País na segunda metade de maio foi inferior àquela registrada em igual período da safra passada. Nestes últimos 15 dias do mês, o volume de cana-de-açúcar processada alcançou 35,62 milhões de toneladas, queda de 17,62% comparada com o mesmo período de 2011. No acumulado desde o início da safra até 31 de maio, a quantidade moída totalizou 70,71 milhões de toneladas, contra 100,45 milhões de toneladas registradas no mesmo período da safra 2011/2012 (recuo de 29,61%).
O ritmo mais lento de moagem observado até o momento se deve às chuvas que ocorreram nas principais regiões produtoras e ao atraso no início de safra em muitas usinas.
Segundo o presidente interino da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues “as chuvas prejudicaram significativamente o andamento da colheita ao final de maio. Entretanto, o maior impacto será observado sobre os resultados da primeira quinzena de junho, período em que o índice de precipitação pluviométrica superou os valores esperados”.
De fato, dados do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) demonstram que, em decorrência da maior precipitação pluviométrica, o número de dias de moagem perdidos pelas usinas aumentou em maio. Em média, as unidades produtoras amostradas obtiveram 8,77 dias perdidos naquele mês, ante apenas 3,54 dias de paralisação em maio de 2011.
Em relação à produtividade agrícola do canavial colhido na região Centro-Sul, esta segue abaixo daquela apurada no último ano. Estatísticas do CTC informam que, para a amostra de usinas considerada pelo Centro, esta produtividade alcançou 73,77 toneladas de cana-de-açúcar por hectare em maio, redução de 3,78% comparativamente ao valor observado no mesmo mês de 2011. No acumulado desde o início da atual safra até o final de maio, a quebra agrícola atingiu 4,80% em relação ao acumulado em idêntico período da safra anterior.
Além das condições climáticas desfavoráveis, outro fator que tem contribuído para este recuo da produtividade agrícola foi a antecipação da colheita dos canaviais mais antigos (que historicamente possuem menor produtividade) pelas unidades produtoras. Com efeito, os dados levantados pelo CTC mostram que a idade média de corte do canavial colhido em maio deste ano foi 3,74 anos, contra 3,45 anos verificados no mesmo mês de 2011. É importante frisar, contudo, que uma vez colhidas, estas áreas estão sendo liberadas para plantios.
Até 31 de maio, 278 unidades produtoras estavam em atividade no Centro-sul contra 289 verificadas até a mesma data de 2011. Ainda, 12 usinas que processaram cana-de-açúcar na safra passada não irão operar este ano.
 Qualidade da matéria-prima
O teor de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima processada atingiu 114,90 kg no acumulado desde o início desta safra até 31 de maio, queda de 1,20% relativamente a igual período de 2011. Na segunda metade de maio, a quantidade de ATR somou 119,53 kg por tonelada de cana-de-açúcar, redução de 5,82% no comparativo com a mesma quinzena da safra 2011/2012.
Para o executivo da UNICA, “caso as condições climáticas verificadas nas últimas semanas persistam nos próximos meses, o valor final do ATR para a safra 2012/2013 poderá ser inferior aquele inicialmente estimado em abril”. O clima úmido também dificulta a produção de açúcar, principalmente no caso de produtos de melhor qualidade, acrescentou Rodrigues.
Mix de produção
Na segunda quinzena de maio, a proporção de cana-de-açúcar destinada à produção de etanol totalizou 51,69%, percentual inferior aos 53,90% verificados nesta mesma quinzena de 2011. No acumulado desde o início da safra 2012/2013, 54,41% da matéria-prima disponível direcionou-se à fabricação de etanol, contra 57,02% verificados em igual período do ano anterior.
Produção
A produção de açúcar nos últimos 15 dias de maio atingiu 1,96 milhão de toneladas, contra 2,41 milhões de toneladas registradas nesta mesma quinzena da safra anterior. No acumulado desde o início da safra até 31 de maio, esta produção somou 3,53 milhões de toneladas, queda de 26,23% em relação a igual período de 2011.
No que se refere à produção de etanol, esta alcançou 1,29 bilhão de litros na segunda quinzena de maio, sendo 435,74 milhões de litros de etanol anidro e 858,12 milhões de litros de etanol hidratado. Este volume representa uma redução de 25,52% no comparativo com idêntico período do último ano. 
No acumulado desde o início da safra, esta redução atingiu 33,16%, com 2,61 bilhões de litros produzidos na atual safra frente aos 3,91 bilhões de litros em 2011. A produção de etanol anidro totalizou 560,34 milhões de litros, 912,44 milhões de litros abaixo do montante registrado no mesmo período de 2011. Por sua vez, a produção de etanol hidratado somou 2,05 bilhões de litros, contra 2,44 bilhões de litros no ano passado.
Vendas de etanol
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 1,64 bilhão de litros em maio, sendo 645,70 milhões de litros de etanol anidro e 995,05 milhões de litros de etanol hidratado. Deste total comercializado, 90,85% (1,49 bilhão de litros) destinou-se ao mercado interno e 9,15% (150,12 milhões de litros) à exportação.
As vendas de etanol anidro ao mercado doméstico totalizaram 528,14 milhões de litros em maio deste ano, representando uma queda de 19,02% em relação a 2011. Na segunda quinzena desse mês, o volume comercializado atingiu 284,67 milhões de litros, ante 322,24 milhões de litros observados em igual período do ano passado - queda de 11,66%.
As vendas internas de etanol hidratado, por sua vez, alcançaram 962,49 milhões de litros em maio, retração de 10,02% sobre o montante observado no último ano. Do total vendido neste mês, 520,47 milhões de litros foram comercializados na segunda quinzena (retração 18,68% frente aos 640,01 milhões de litros observados no mesmo período de 2011).
As vendas acumuladas de etanol entre 1º de abril até 31 de maio totalizaram 3,04 bilhões de litros, 2,69% acima do volume apurado no mesmo período da safra 2011/2012. Os volumes comercializados de etanol anidro e de etanol hidratado neste período somaram, respectivamente, 1,17 bilhão de litros e 1,86 bilhão de litros.
Fonte:
Unica

0 comentário