Produção de açúcar na 2ª quinzena de julho no CS deve recuar 10,2%, projeta S&P

Publicado em 10/08/2021 09:06 e atualizado em 10/08/2021 14:18 118 exibições
Unica divulga sua atualização oficial para a região nesta terça-feira, às 11h (horário de Brasília)

Logotipo Notícias Agrícolas

A produção de açúcar na região Centro-Sul do Brasil deve totalizar 3,089 milhões de toneladas na segunda quinzena de julho, segundo estimativa da S&P Global Platts realizada com 12 analistas em 9 de agosto. O volume representaria uma queda de 10,2% ante o mesmo período da safra passada.

As estimativas de moagem de cana-de-açúcar oscilaram na pesquisa entre 45,3 a 48,9 milhões de t, gerando uma média de 47 milhões de t, um recuo de 7,5% ante o ano anterior.

"O terceiro evento de geada para a safra 2021/22 na região Centro-Sul, que ocorreu durante a segunda quinzena de julho, adicionou estresse ao crescimento adequado da cana", disse em nota divulgada a S&P Global Platts Analytics.

No entanto, danos com a safra ainda podem aparecer. "A moagem de cana revisada para o Centro-Sul do Brasil em 2021/22 está em 530 milhões de t, com produção total de açúcar de 33,1 milhões de t", destacou a fornecedora de informações de commodities.

A proporção da cana utilizada para a produção de açúcar deve ser de 47,0% nesta safra, ante 47,9% um ano antes. Apesar dos preços altos do etanol, as usinas devem seguir maximizando a produção de açúcar dada a maior lucratividade.

O açúcar recuperável por tonelada de cana (ATR) deve ser de 146,6 kg/t, uma redução de 1% no comparativo anual.

O preço médio do etanol hidratado nas usinas de Ribeirão Preto apurado pela Platts na equivalência com o açúcar em 6 de agosto estava em US$ 17,68 c/lb, sobre o açúcar ICE NY11 em 18,68 c/lb, proporcionando um prêmio de US$ 1 c/lb ao hidratado em equivalente de açúcar bruto.

A produção total de etanol da cana-de-açúcar deve ser de 2,18 bilhões de litros na quinzena, uma queda de 5,5% em relação ao ano anterior.

A produção de etanol hidratado era esperada em 1,28 bilhão de litros, de acordo com a média das respostas dos analistas na pesquisa. Uma queda de 19,4% ano a ano. A produção de etanol anidro no segundo semestre de julho era esperada em 902 milhões de litros, um aumento de 25,3% no comparativo anual, segundo a pesquisa.

A produção total de etanol de milho deve ser de 124 milhões de litros, um aumento de 13,8% em relação ao ano anterior. A produção de etanol hidratado era esperada em 86 milhões de litros, uma queda de 2,3% ano a ano, e a produção de etanol anidro em julho do segundo semestre era de 38 milhões de litros, um aumento de 84,4% ano a ano.

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulga sua atualização para a segunda quinzena de julho nesta terça, às 11h (de Brasília).

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário