Açúcar salta mais de 1,5% nesta 3ª em NY e Londres com petróleo e queda do dólar

Publicado em 07/12/2021 16:26 117 exibições
Mercado também acompanha informações sobre nova safra do Brasil e andamento da colheita indiana

Logotipo Notícias Agrícolas

As cotações futuras do açúcar encerraram a sessão desta terça-feira (07) com altas de mais de 1,5% nas bolsas de Nova York e Londres. Os preços do adoçante tiveram suporte do petróleo, além da queda do dólar e informações sobre as origens.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York subiu 1,67%, cotado a US$ 19,48 c/lb, com máxima de 19,51 c/lb e mínima de 19,20 c/lb. Em Londres, o tipo branco teve valorização de 1,81%, negociado a US$ 505,60 a tonelada.

"Os revendedores disseram que o mercado continua a ser liderado pela tendência em energia e pelos mercados financeiros mais amplos", destacou a agência de notícias Reuters.

Nesta tarde de terça, os preços do petróleo WTI no cenário internacional saltavam mais de 4% e os do Brent mais de 3,5%. A melhor assimilação da variante ômicron da Covid-19 e seus impactos na demanda deram suporte ao mercado.

"O mercado foi superestimado como uma reação automática à Ômicron e seu potencial de disseminação e impacto nas restrições de viagens", disse Gary Cunningham, diretor de pesquisa de mercado da Tradition Energy.

Cana 16:9
Preços do açúcar no mercado brasileiro seguem acima dos R$ 150 a saca

Ainda no financeiro, a queda do dólar sobre o real durante o dia também contribuiu para o suporte aos preços externos. Um dólar mais baixo tende a desencorajar as exportações, mas dá suporte aos preços das commodities.

Também há atenção dos operadores no dia para as informações das origens. A Índia está com sua safra em andamento nesta reta final do ano e o Brasil já se prepara para a próxima temporada, 2022/23, em meio ao fenômeno La Niña.

A safra atual também está em foco. "O reduzido potencial de produção do Brasil para a safra atual ainda está impactando o mercado devido à produção de cana sofrida na safra passada", disse Jack Scoville, vice-presidente da Price Futures Group.

MERCADO INTERNO

Os preços do açúcar no mercado brasileiro seguem acima dos R$ 150 a saca, apesar de baixas pontuais. No último dia de negociação, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, queda de 0,08%, negociado a R$ 155,13 a saca de 50 kg.

Já nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar ficou estável, a R$ 149,01 a saca, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração o preço FOB a US$ 19,76 c/lb com alta de 2,21%.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário