Açúcar recua cerca 1% em NY e Londres nesta 2ª feira, após testar 20 cents/lb

Publicado em 23/05/2022 16:15
Mercado do adoçante sentiu pressão de realização de lucros, além das oscilações do petróleo

Logotipo Notícias Agrícolas

As cotações futuras do açúcar encerraram a sessão desta segunda-feira (23) com queda de cerca de 1% nas bolsas de Nova York e Londres. O mercado do adoçante não se sustentou nos 20 cents/lb, tendo pressão técnica, além de seguir as oscilações do petróleo no dia.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York caiu 0,90%, cotado a 19,77 cents/lb, com máxima de 20,09 cents/lb e mínima de 19,72 cents/lb. Em Londres, o primeiro contrato recuou 1,09%, a US$ 552,00 a tonelada.

Depois de subir pela manhã com suporte do financeiro, principalmente do petróleo que subiu em parte do dia, além dos temores com o frio sobre a safra brasileira do Centro-Sul, testando máxima de 20,09 cents/lb, o mercado sentiu pressão de realização de lucros e voltou a cair.

O mercado do adoçante também chegou a ter alguma pressão do petróleo em parte do dia, já que o óleo oscilou dos dois lados da tabela acompanhando atenção para a demanda e dados da oferta. Como limitador da baixa, houve atenção para a desvalorização do dólar sobre o real.

Apesar da baixa no dia, segundo a agência de notícias Reuters, o cenário ainda parece ser positivo aos preços.

"Negociantes disseram que o açúcar deve permanecer firme no curto prazo, uma vez que os sinais macroeconômicos são favoráveis ​​e as preocupações sobre a produção no Brasil permanecem na mente dos traders", disse a Reuters.

As usinas brasileiras de cana devem favorecer a produção de etanol na temporada 2022/23, um biocombustível à base de cana, ao invés do açúcar por conta da alta nos preços de energia. Também há atenção para as outras origens produtoras.

No internacional, o Egito espera produzir 2,8 milhões de toneladas de açúcar na temporada em curso em comparação com 3 milhões de toneladas no ano passado, disse o Ministério da Agricultura à Reuters.

MERCADO INTERNO

O mercado brasileiro de açúcar tem recuado entre ganhos e perdas nos últimos dias mesmo com a safra em andamento. No último dia de negociação, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, subiu 0,97%, negociado a R$ 130,58 a saca de 50 kg.

Já nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar ficou cotado a R$ 152,11 a saca e queda de 1,12%, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração o preço FOB a US$ 21,10 c/lb e alta de 0,90%.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário