Produtores e empresas rurais estão sendo intimados pela Receita Federal a prestar esclarecimentos sobre o passivo do Funrural

Publicado em 09/11/2018 13:29 e atualizado em 11/11/2018 11:28
7700 exibições
Fiscalização é uma tentativa de agilizar o processo de adesão ao PRR (Plano de Regularização Rural) que teve prorrogação publicada no Diário da União desta sexta-feira(09)
Joaquim Rolim Ferraz - Advogado

Podcast

Entrevista com Joaquim Rolim Ferraz - Advogado sobre o Funrural

Download

LOGO nalogo

Foi divulgada, no Diário Oficial da União, a prorrogação da adesão dos produtores rurais ao Programa de Regularização Tributária Rural (PRR) para o dia 31 de dezembro.

Contudo, ao mesmo tempo, a Receita Federal intima produtores e empresas a prestarem esclarecimentos a respeito do recolhimento do Fundo de Apoio Ao Trabalhador Rural (Funrural). Quem destaca a questão é o advogado Joaquim Rolim Ferraz, em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta sexta (09).

Conforme lembra Ferraz, nos últimos cinco anos o Funrural se limitou a atividades legislativas e do executivo. Agora, a Receita Federal faz a fiscalização, o que pode trazer consequências para algumas atividades.

A esmagadora maioria dos empresários rurais não havia entrado com medida judicial para recolher o dinheiro em juízo e não discutiu a questão em nenhum campo jurídico. Agora, resta a formalização da dívida a partir do PRR para que as contas possam ser prestadas.

Normalmente, são 20 dias corridos para prestar esclarecimentos. Entretanto, dependendo do porte da empresa, esse prazo pode ser renovado.

Para o advogado, os produtores terão, então, que "se balizar" por meio de medidas que estão disponíveis ao seu alcance.

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário