Surgem novos casos de Amaranthus (caruru) resistentes ao glifosato em Ponta Grossa (PR)

Publicado em 05/12/2019 22:06 5945 exibições
João Batista Olivi - Jornalista
Casos de amaranthus híbrido estão se tornando incontroláveis em pequenas propriedades da região de Ponta Grossa, PR. Há identificação de outros casos na região de Passo Fundo, no RS. A erva daninha mostra forte resistencia ao efeito do glifosato. Na Argentina o amaranthus já causa perdas de 15 sacas por hectare.

 

 

 

Podcast

Identificados novos casos de amaranthus (cararu) resistentes ao glifosato em Ponta Grossa (PR)

Download

 

 

 

Mesmo usando 32 litros de glifosato/h já não se consegue controlar o caruru híbrido

No Paraná, o setor de herbologia da Fundação ABC identificou plantas de A. hybridus com suspeitas de resistência ao herbicida glyphosate e inibidores da ALS, no município de Ponta Grossa-PR.

O trabalho realizado a campo pela fundação constatou que as doses do herbicida comercial glyphosate desde 1,0 até 32,0 L.ha-1 não ocasionaram controle dessas plantas de caruru, mesmo nas doses maiores do herbicida.

Amostras das plantas foram coletadas e encaminhadas para diferentes institutos e laboratórios do país, que identifi caram como sendo da espécie de Amaranthus hybridus e também, apresentando as mesmas características de tripla mutação encontradas nos biótipos de caruru do Rio Grande do Sul e Argentina.

Ensaios com herbicidas pré-emergentes já foram realizados na área para posicionamento e sugestões de controle do A. hybridus e futuros ensaios de eficácias dos herbicidas na dessecação pré-semeadura e pós-emergência das culturas: soja, milho e feijão serão instalados para compreender melhor a respeito do manejo deste biótipo de caruru

Na safra 2018/2019, foi constatado no Rio Grande do Sul o primeiro caso de plantas de A. hybridus resistente a glyphosate no Brasil, estes apresentaram a mesma tripla mutação presente na Argentina (TAP-IVS: T102I, A103V e P106S) (Oliveira et al., 2019).

Na Argentina existem casos de resistência ao herbicida glyphosate desde de 2013, e atualmente há plantas desta espécie que apresentam resistência múltipla aos herbicidas, inibidores da EPSPS (glyphosate), ALS (chlorimuron--ethyl) e Auxinas (2,4-D) (HEAP, 2019).

Com isso, a aplicação de glyphosate na pós-emergência da soja ou do milho RR se mostra inefi caz, sendo necessária a utilização de herbicidas na pré-emergência e pós-emergência da cultura, encarecendo o custo de controle.

Recentemente, foi revelado um novo caso de populações de A. hybridus resistente a glyphosate, na Argentina, proporcionado por uma tripla mutação (TAP-IVS: T102I, A103V e P106S) na enzima 5-enol-piruvilshikimato-3-fosfato sintase (EPSPS), sendo que a dose de glyphosate para controlar 50% desse biótipo foi de 20,9 kg de i.a.ha-1, equivalente a 46,9 litros.ha-1 de glyphosate (Perroti etal., 2019).

A planta de caruru tem capacidade de produzir de 200 a 600 mil sementes e a dispersão é feita por meio da semente, abertura espontânea dos frutos, podendo ser principalmente disseminadas por ventos, máquinas agrícolas, canais de irrigação, insumos, esterco animal, pássaros, mamíferos e sementes.

A presença da planta daninha nas culturas do milho e da soja, podem reduzir o rendimento em até 80%, além de inviabilizar a colheita mecânica. Outra informação relevante é que as plantas possuem hibridação natural e, portanto, pode ocorrer transferência da resistência à herbicidas de A. hybridus para outras espécies de caruru.

Gerente Técnico da Fundação ABC deixa uma recomendação aos produtores:

"Todo cuidado é pouco, e mesmo assim vai custar muito caro"...

Luis Henrique Penckowski, gerente-tecnico da Fundação ABC, Ponta Grossa/PR

Vídeo na internet mostra o caruru palmeri e híbrido no MT

Segue vídeo com observação dos aspectos morfológicos que auxiliam na diferenciação do Amaranthus palmeri em relação ao Amaranthus comum. A correta identificação da praga é extremamente importante para tomada de decisão no controle oficial visando evitar a produção de sementes e a disseminação na própria área e demais áreas livres. A colheitadeira de grãos é umas dos principais veículos de disseminação, portanto, a limpeza da máquina é fundamental.

Amaramthus  hybrido Ponta grossa - PR 16:9Amaramthus  hybrido Ponta grossa - PR 16:9Amaramthus  hybrido Ponta grossa - PR 16:9Amaramthus  hybrido Ponta grossa - PR 16:9Amaramthus  hybrido Ponta grossa - PR 16:9

Veja também:

>> Além de protocolo de boas práticas, Dicamba terá uma 'bula' para que haja segurança nas aplicações

>> Perguntamos ao líder da XTend: 'O produtor vai ficar escravo do Dicamba?' Veja a resposta...

>> Entramos numa área controlada da Intacta 2 Xtend e vimos a soja da safra 21/22

 

 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário