Tratoraço está de novo nas estradas, agora rumo a S. Paulo, para protestar contra João Doria

Publicado em 16/02/2021 15:51 627 exibições
Tempo & Dinheiro - Com João Batista Olivi
Nessa 4ª feira, 17FEV, ocorrerá manifestação em frente à Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo - ALESP. (veja mais detalhes no depoimento de um dos organizadores do movimento, José Luiz Coelho, ao Tempo&Dinheiro

​Com a decisão do governo estadual paulista de, mais uma vez, não cumprir uma de suas principais promessas de campanha, no caso, de “não aumentar os impostos”, diversos setores da economia estão sendo diretamente afetados levando os consumidores paulistas a pagarem uma absurda, injusta e indevida conta.

O governador mentiu, novamente, na véspera do TRATORAÇO (tentando esvaziar o Movimento) quando prometeu, pelo Twitter, que voltaria atrás com os aumentos de impostos. Não voltou.

Diversos produtos, como o leite pasteurizado e hortifrútis, dentre vários outros itens fundamentais da cesta básica, permaneceram com alíquotas de impostos majorados.

Além disso o governador ainda ludibriou vários deputados, induzindo-os a aprovarem lei que lhe entrega plenos poderes para aumentar impostos e reduzir incentivos, por decretos lei, elaborados e assinados por ele mesmo, um preceito constitucional, inalienável, do Poder Legislativo.

O decreto de João Dória, por ser em cascata, gera aumentos que podem chegar, em alguns ítens, a até 25 % para o consumidor final, especialmente sobre alimentos e medicamentos.

Obviamente, a população de baixa renda será a mais atingida, pois, para os menos favorecidos, a alimentação representa o ítem de maior peso em seus gastos mensais.

Toda essa engenharia tributária foi desenhada por um financista contratado pelo Governo Paulista em MAR20, que já em JUN, apresentou um Plano Apocalíptico que nunca se concretizou e convenceu 57 Deputados.

Para reverter essa situação dramática, em plena pandemia, uma organização nascida dos Produtores Rurais Paulistas, lançou o Tratoraço, que foi às ruas, em mais de 300 cidades do Estado, em 07JAN, e imediatamente ganhou o apoio, incentivo e solidariedade da população.

Recebendo apoio incondicional de comerciantes e empresários de praticamente todos os setores da economia, o Movimento agora vai à capital Paulista no dia 17FEV (quarta-feira), para apoiar um Projeto de Lei a ser protocolado nessa mesma data, por Deputados preocupados com os paulistas, para derrubar o artigo da lei que conferiu poderes ao governador para propor e decidir, sobre a política de ICMS do Estado.

Nessa oportunidade, também estarão presentes, representantes das empresas ligadas a saúde privada, garagistas e concessionárias de veículos leves, pesados e máquina agrícolas.

Em tempo: segundo relatório da SECRETARIA da FAZENDA / SP de DEZ20, o exercício de 2020 apresentou superávit em relação ao ano anterior!!!

E relatório da FGV aponta que a reforma tributária se implementada da forma como foi aprovada reduzirá a arrecadação do Estado de São Paulo devido a inevitável redução de consumo, por conta dos aumentos inevitáveis nos preços!!!

Tempo e Dinheiro 16/2Tempo e Dinheiro 16/2Tempo e Dinheiro 16/2

E mais:

Onda de frio fecha canal de Houston e aumenta blecautes na região

LOGO REUTERS

(Reuters) - A onda de frio e o tempo gelado seguem causando estragos no setor de energia dos Estados Unidos, interrompendo as operações no canal de Houston, enquanto várias das maiores refinarias de petróleo permaneceram fechadas no maior Estado produtor de petróleo do país.

No geral, cerca de 5,3 milhões de clientes ficaram sem energia na maioria dos Estados, incluindo Texas e Nova York, com cerca de 4,3 milhões de pessoas somente no Texas, de acordo com as empresas de energia locais.

O clima, que não costuma ser tão frio nos Estados do sul dos EUA, eliminou mais de 3 milhões de barris de capacidade diária de refinamento no Golfo dos EUA, de acordo com cálculos da Reuters, e analistas da indústria dizem que a produção de petróleo pode ser afetada por dias ou semanas.

A onda de frio levou os preços do petróleo a máximas de quase 13 meses.

O canal de Houston é crucial para as exportações de petróleo e combustíveis dos EUA, bem como para embarques de grãos e outros produtos.

Tornados e onda de frio nos EUA matam sete pessoas e interrompem vacinações

LOGO REUTERS

NOVA YORK (Reuters) - Tornados com vítimas fatais no sudeste dos Estados Unidos e o frio histórico abaixo de zero em Estados do sul como o Texas foram responsáveis nesta terça-feira por sete mortes e por grandes cortes de fornecimento de energia que cancelaram a vacinação contra a Covid-19 e ameaçam interromper o fornecimento de vacinas.

O clima seguirá assim em muitas partes dos Estados Unidos desta terça até a próxima sexta-feira, com até 10 centímetros de neve e chuva congelante aguardados em Estados do sul até o nordeste dos EUA, disseram os meteorologistas.

Uma massa de ar do Ártico que desceu sobre grande parte do país empurrou as temperaturas para mínimas históricas nesta terça-feira, segundo a meteorologista Lara Pagano, do Centro de Previsão do Tempo do Serviço Meteorológico Nacional em College Park, Maryland.

Em Lincoln, Nebraska, foi medido -35 graus Celsius nesta terça-feira, quebrando o recorde anteriormente estabelecido em 1978, de -27 graus Celsius.

Enfrentando a falta de energia, autoridades fecharam locais de vacinação e corriam para usar 8.400 vacinas que exigem refrigeração abaixo de zero antes de estragarem após um gerador ter falhado, disse a juíza do condado de Harris Lina Hidalgo.

No sudeste, um sistema de baixa pressão criou combustível para tempestades que provocaram ao menos quatro tornados, disse o meteorologista Jeremy Grams, do serviço climático do Centro de Previsão de Tempestades em Norman, Oklahoma.

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas/Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário