Pagamento chegando, exportações em alta e oferta curta de boi levam indústrias às compras e SP tem negócios a R$ 150/@

Publicado em 30/08/2018 13:09 e atualizado em 30/08/2018 14:44
877 exibições
Ainda há uma possibilidade do consumo doméstico avançar à medida que as eleições se aproximam. Mercado começa a monitorar Turquia, que informou a presença de animais provenientes do Brasil doentes.
Caio Toledo Godoy - Consultor em Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone

Podcast

Entrevista com Caio Toledo Godoy - Consultor em Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Com o final deste mês, as indústrias frigoríficas no estado de São Paulo aumentaram as compras para compor lotes para o próximo mês. Contudo, a expectativa é que o consumo interno melhore com a aproximação do período eleitoral.

De acordo com o Consultor em Gerenciamento de Riscos da INTL FCStone, Caio Toledo Godoy, o mercado segue com baixa disponibilidade e animais que contribuiu para a alta da arroba nos últimos dias. “Em São Paulo, teve negócios próximos a R$150,00/@, já em Minas Gerais, as referências estão próximas de R$ 145,00/@ a R$ 146,00/@ e nos demais estados teve contratos fechados nos patamares de R$ 140,00/@”, afirma.

Nos últimos dias, os frigoríficos tiveram que compor novos lotes para o início do próximo mês. “Como estão com as escalas muito curtas tiveram que pagar um pouco a mais para conseguirem se preparar para a demanda de começo de mês”, comenta.

O consultor acredita que alguns fatores podem ajudar a manter a firmeza da arroba. “As exportações devem continuar com a tendência de alta, ainda mais com o valor do dólar. Com as eleições, a demanda por carne bovina tende aumentar. O terceiro fator, é que as exportações por carne suínas aumentam que o preço do produto no Brasil tem se elevado e dá um pouco de fôlego para a carne vermelha”, destaca.

Em relação ao segundo giro do confinamento, alguns pecuarista vão retirar gado de pastos para colocar no semiconfinamento até dezembro em função da idade dos animais. “Então, isso pode levar um aumento de oferta no final do ano é uma coisa que já estamos monitorando aqui”, diz.

Turquia

Segundo agencias de notícias internacionais, alguns animais do Brasil que foram exportados para a Turquia apresentavam estar contaminados com Antrax. “Não se sabe se pegou no Brasil ou se adoeceram no caminho, mas isso é algo que o mercado deve mensurar daqui pra frente e que deve impactar no estado de São Paulo”, finaliza.

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário