Mercado do boi gordo segue com preços firmes e não foi impactado negativamente pela a nova fase da operação lava jato

Publicado em 02/10/2019 12:43
533 exibições
O mercado vive um cenário oposto ao observado em 2017, tendo em vista que um dos fatores que está contribuindo para arroba estar firme é a demanda chinesa por proteínas e a oferta restrita de animais.
Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Com um cenário de referências firmes para a arroba do boi gordo, o mercado nem sentiu o impacto da quarta fase da operação lava jato. Nesta terça-feira (01), a Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram a nova fase de investigações, intitulada de ‘Romano’, que apura os crimes de corrupção passiva cometidos por auditores fiscais agropecuários federais.

De acordo com o sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, a operação carne fraca não foi tão relevante para o mercado neste ano. “Em 2017 teve o primeiro impacto no mercado em que os ânimos ficaram exaltados e acabou refletindo na arroba e nas ações da empresas desse setor”, afirma.

Esse cenário não se repetiu novamente pelo fato da demanda chinesa estar aquecida e as empresas envolvidas estão colaborando com as investigações. “As empresas estão demonstrando boa vontade para seguir com as operações e observamos um cenário mais blindado”, comenta.

Com a epidemia de peste suína longe de ser controlada nos plantéis da China, as exportações de carnes brasileiras estão sendo favorecidas e contribuindo para a firmeza nos preços. “Historicamente, o pico das exportações acontece em outubro e estamos bem confiantes que o Brasil terá um poder de barganha. Apesar do recuo nos embarques em setembro, nós acreditamos que até o semestre do próximo ano será bom para as exportações”, ressalta.

No mês de setembro, o destaque das exportações foi à carne suína que registrou um volume de 13.2% maior se comparado com o mês de agosto. “Se observamos o mesmo período do ano passado, as exportações de carne suína tiveram um incremento de 13.5%. É um crescimento relevante que foi impulsionado pela a peste suína”, relata.

Atualmente, as referências para o boi destinado a exportação para a China está ao redor de R$ 164,00/@ a R$ 165,00/@ e dependendo da localização pode ser maior esse valor. “Enquanto isso, o animal destinado ao mercado interno está cotado ao redor de R$ 161,00/@”, diz Coelho.

Com relação à carne no atacado, os preços registraram valorizações e houve um bom fluxo de vendas do atacado para o varejo. “Nós temos preços ao redor de 10,53/kg e vem subindo nos últimos dias e podemos ver esse movimento continuar firme nesta semana”, conclui.

Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário