Exportação de carne bovina em outubro pode atingir volume recorde de 170 mil toneladas. Mercado interno enxuto pode favorecer @

Publicado em 22/10/2019 13:04 e atualizado em 22/10/2019 13:55
2290 exibições
Oferta restrita de animais, carne no atacado em alta desde setembro remunerando frigoríficos, exportações recordes e expectativa de mais consumo no mercado interno no final do ano criam cenário favorável para os preços da arroba
Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos

Podcast

Mercado do Boi Gordo - Entrevista com Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos

Download

LOGO nalogo

O mês de outubro pode bater recordes nas exportações de carne bovina in natura caso o ritmo de embarques se mantenha nos patamares atuais. As projeções do mercado indicam que o volume embarcado deve atingir 170 mil toneladas. No mercado interno, oferta restrita pode favorecer o movimento de alta da arroba.

De acordo com o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, o movimento de firmeza no mercado é observado no boi gordo e nos valores da carne do atacado. “A indústria precisa pagar um pouco mais para andar com as suas programações. Hoje, boa parte dos frigoríficos aumentou os preços balcão e temos uma referência em São Paulo de R$ 165,00/@, à vista”, comenta.

No caso da carne no atacado, os valores estão próximos de R$ 11,10/kg. “A indústria vive um bom momento e o setor tem margens apertadas. Fazia muito tempo que não tinha um movimento neste sentido e desde 27 de agosto que a carne acumulando altas no mercado interno”, afirma.

Com relação à competitividade da carne bovina, as outras proteínas estão contribuindo para esse movimento de alta da carne bovina. “A carne tem um limite para subir já que o consumo tem sensibilidade a preços. É possível que os preços para o boi gordo continuem firmes com espaço para uma ligeira alta, mas não esperamos algo muito relevante devido à demanda interna”, relata.

 

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário