Rabobank analisa o futuro dos fundamentos que têm dado sustentação aos preços da arroba do boi, como exportação e oferta de animais

Publicado em 27/01/2022 12:48 e atualizado em 27/01/2022 16:02 2287 exibições
Wagner Hiroshi Yanaguizawa - Analista de Proteína Animal do Rabobank
Tendência é positiva para os preços da arroba, porém margens de ganhos dos pecuaristas tendem a ser menores que as dos dois últimos anos

Podcast

Entrevista com Wagner Hiroshi Yanaguizawa - Analista de Proteína Animal do Rabobank sobre o Mercado do Boi Gordo

Logotipo Notícias Agrícolas

As projeções do Rabobank indicam que os preços da arroba bovina devem seguir sustentados, porém as margens de rentabilidade dos pecuaristas podem ser menores neste ano em função da alta nos custos de produção. O banco holandês também estima que as exportações devem ter um incremento de 4%  e na produção de carne bovina deve ter um aumento de 1% a 2% em 2022. 

De acordo com o Analista de Proteína Animal do Rabobank, Wagner Hiroshi Yanaguizawa, as exportações de carne bovina têm registrado bons volumes embarcados e isso é consequência da demanda chinesa, dos Estados Unidos, Egito e Rússia. “Com a saída da China no final do ano passado das exportações de carne bovina, alguns países aproveitaram para aumentar o seu marketshare com Brasil. Claro, que isso tem contribuído para a renovação dos preços da arroba do boi gordo”, informou. 

O analista ainda alerta que é preciso aguardar para saber como vai ser a demanda chinesa por proteína animal após o feriado de ano novo lunar. “Porém, já analisando o ano como um todo, nós acreditamos que a demanda da China por carne bovina deve continuar crescente até 2025. Nós estamos estimando algo em torno de 800 mil toneladas no acumulado deste período”, relatou. 

Além da Peste Suína Africana (PSA) que está afetando o rebanho de suínos na China, outro fator que vem comprometendo são as leis ambientais que estão bastante rígidas na China. “Por outro lado, estamos observando uma mudança no comportamento dos chineses por consumo de proteína animal com as restrições da pandemia”, destacou. 

Do lado da oferta de animais, a expectativa é que haja um incremento na oferta de animais terminados à pasto a partir de fevereiro. “No entanto, esse volume que deve entrar no mercado não vai ser suficiente para derrubar as cotações da arroba. Apesar das escalas de abate mais curtas vamos seguir com valores sustentados no curto prazo”, concluiu. 

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário