Florada antecipada do café nos últimos dias preocupa produtores de Nova Resende (MG) com safra 2019/20

Publicado em 31/08/2018 15:35 e atualizado em 31/08/2018 16:32
759 exibições
Condição pode prejudicar a qualidade de uma temporada que já será mais baixa por conta da bienalidade negativa das lavouras. Produtores da região mineira praticamente encerraram a colheita da atual temporada, mas os baixos preços limitam negociações com patamares, inclusive, abaixo dos custos.
Alexandre Maroti - Produtor de Café

Podcast

Entrevista com Alexandre Maroti - Produtor de Café sobre o Acompanhamento de Safra do Café

Download

LOGO nalogo

Na região de Nova Resende/MG, os produtores rurais estão apreensivos com a florada antecipada dos cafezais que pode comprometer a qualidade e a na produtividade. Contudo, os cafeicultores estão aguardando um melhor momento para fazer as compras dos insumos devido à alta do dólar.

De acordo com produtor rural do município, Alexandre Maroti, o momento ideal para a florada acontecer seria nos meses de setembro a outubro. “Talvez, teria sido melhor atrasar para outubro em que teríamos uma colheita mais uniforme, como na safra passada”, comenta.  

Na localidade, os cafeicultores já finalizaram a colheita do café da atual safra. “Eu acredito que 99% já terminaram a colheita e o que está faltando é varrição da fazenda. A expectativa é que daqui duas semanas os trabalhos de campo se encerrem”, destaca.

Atualmente, as referências para o café giram ao redor de R$ 413,00 a saca, porém os preços já chegaram aos patamares de R$ 396,00 a saca, que não cobrem os custos de produção.“As negociações estão lentas, pois os produtores estão vendendo conforme a necessidade.

Com a valorização do dólar, os cafeicultores optaram por aguardar para realizar as compras de insumos para a próxima safra. “Os insumos subiram mais de 30% e os preços do café inverteram. Com isso, os agricultores vão reduzir os investimentos”, diz.

Leia mais:

>> Florada antecipada pode prejudicar próxima safra de café arábica no Brasil

Por: Jhonatas Simião e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário