Apesar de baixas, cenário ainda é positivo para o café e demanda de consumo em casa chama atenção

Publicado em 03/04/2020 15:43 e atualizado em 03/04/2020 16:37 994 exibições
Marcus Magalhães - Diretor Executivo da Maros Corretora
Mercado do Café - Entrevista com Marcus Magalhães - Diretor Executivo da Maros Corretora

Podcast

Mercado do Café - Entrevista com Marcus Magalhães - Diretor Executivo da Maros Corretora

Download

LOGO nalogo

 

O mercado futuro do café continuou apresentando uma alta volatilidade nesta semana, mais uma vez com preços sustentados por Coronavírus, consumo interno e externo e incertezas com as embarcações. "No caso do café se pegar as oscilações dos últimos 10 dias, a gente vai ver que apesar os altos e dos baixos, nós tivemos o campo positivo sendo prevalecido", destaca Marcus Magalhães, analista de mercado da Maros Corretora. 

Segundo o analista, a diminuição de café nos estoques mundiais é um ponto positivo para os preços do café em Nova York, tendo em vista que operadores mesmo sem estoques, conseguiam fazer compras de maneira muito fácil, cenário que pode mudar com a pandemia do Coronavírus, podendo ser registrado atrasos na logística, o que é também é um fator que sustentam os preços para cima em Nova York.

Marcus comentou ainda que outro ponto que mostra que o café ainda está em uma posição mais farovável do que as demias commodities agrícolas, é que cada vez mais os números comprovam que apesar das cafeterias e padarias fechadas em vários lugares do mundo, começar acontecer a mudança de consumo e cada vez mais as pessoas estão aumentando o consumo domiciliar da bebida. 

Dados publicados pelo site Bloomberg nesta sexta-feira (3) apontam que cefeterias e padarias fechadas em decorrência da pandemia do Coronavírus, fizeram aumentar de maneira expressiva o consumo doméstico de café nos últimos dias em dois importantes importadores de café brasileiro. O aumento foi registrado tanto nos Estados Unidos e Reino Unido. 

>>> Consumo de café em casa tem salto de 31% nos Estados Unidos durante pandemia

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário