Preços do café devem seguir nos patamares atuais, enquanto NY aguarda colheita: Expectativa de consumo continua positiva

Publicado em 20/05/2020 16:55 e atualizado em 20/05/2020 17:55 1861 exibições
Haroldo Bonfá - Analista de Mercado e Diretor da Pharos Consultoria
Entrevista com Haroldo Bonfá - Analista de Mercado e Diretor da Pharos Consultoria sobre o Mercado do Café

Podcast

Entrevista com Haroldo Bonfá - Analista de Mercado e Diretor da Pharos Consultoria sobre o Mercado do Café

Download

LOGO nalogo

Apesar da queda de mais de 100 pontos, o analista Haroldo Bonfá destaca que a movimentação é normal para o momento em que todo o mercado acompanha a colheita do Brasil - com a expectativa de uma boa safra e também das condições climáticas, além dos efeitos da pandemia do Coronavírus. Expectativa também segue positiva para o consumo de café dentro de casa. 

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, Haroldo Bonfá - da Pharos Consultoria, reafirma que as previsões climáticas no Brasil podem começar a impactar os preços no exterior. "Isso pode ser sim um alerta e sempre é um motivo para movimentar os preços. Nova York já está comentando sobre isso e devemos ficar atentos", comenta o analista. 

Destaca ainda que a apesar do dólar ter dias de baixa, como nesta quarta-feira (20), os valores ainda são importantes e garantem a comercialização do café e ajudam na exportações. "É muito interessante quando você olha o gráfico, principalmente o mês de julho, está com um canal lateral e está dentro do esperado. É um reflexo de tudo isso: dólar, uma safra grande pressionando os preços para baixo e previsão de frio que pressiona os preços pra cima", destaca.

Haroldo reforça ainda que o aumento de custos na produção por conta do Coronavírus devem sim acontecer, tendo em vista que o produtor está tendo mais gastos com os equipamentos de segurança individual e também pela alta do custo com o transporte de mão de obra, mas que os valores ainda precisam ser acompanhados e avaliados com o decorrer da colheita que acabou de começar no sul de Minas Gerais. 

Veja a entrevista completa no vídeo acima

 

 

Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário