Semana seca e com temperaturas em elevação em quase todo o país, diz Inmet

Publicado em 23/08/2019 12:51 e atualizado em 26/08/2019 13:49
771 exibições
Acre recebe bons volumes de chuvas a partir da próxima terça-feira (27) ajudando no combate às queimadas
Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet

Podcast

Entrevista com Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet sobre o Previsão do Tempo

Download

LOGO nalogo

A previsão climática para os próximos dias indicam uma semana sem chuva em quase todo o Brasil. Nesta sexta-feira (23) o chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet, Francisco de Assis Diniz, conversou com o Notícias Agrícolas e explicou o que os produtores pode esperar das condiçoes climáticas também para o início de setembro.

Segundo os dados do Inmet, não há expectativa de chuvas para o final de semana em grande parte do Brasil. O mapa de precipitação dos próximos dias indica possibilidade de chuvas pontuais apenas no Litoral do Nordeste, além de uma chuva significativa na região do Acre e Sudoeste do Amazonas.

A maior parte do país também terá um aumento nas temperaturas, além da previsão indicar a queda da umidade relativa do ar, podendo chegar a valores extremos na maior parte do Brasil. Os mapas indicam ainda uma frente fria se formando na Argentina, que não deve avançar pelo continente, derrubando as temperaturas apenas para uma parte do Rio Grande do Sul.

O Inmet informou ainda que os últimos cinco dias teve uma precipitação significativa no Leste do Paraná, Santa Catarina, Litoral de São Paulo, com chuvas de 30 a 60 milímetros devido a passagem de uma frente fria, que atingiu também Minas Gerais e o Estado do Rio de Janeiro.

A previsão a longo prazo indica ainda que o baixo nível de chuva deve permanecer ao menos nos primeiros dias do mês de setembro. “Provavelmente poderemos ter um mês de setembro quente e seco, com pouca chuva no Centro e no Sudeste do Brasil”, afirma Francisco.

Por: Aleksander Horta e Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário