DA REDAÇÃO: Deputado Colatto teme que Dilma esteja mal informada sobre o Novo Código Florestal

Publicado em 12/03/2012 14:06 e atualizado em 12/03/2012 18:28 444 exibições
Código Florestal: adiada para esta semana, pauta não deve entrar na agenda da Câmara dos Deputados nos próximos dias. Deputado afirma que consolidação de propriedades em APP’s é de extrema importância para o desenvolvimento agrícola do Brasil, por isso, discussão continua entre parlamentares antes da votação.
O embate da votação do Novo Código Florestal no Congresso, para o deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC), é um problema menor que a necessidade que o Brasil tem de ver essa lei aprovada. Na sua visão, é preciso que se priorize o país, pois a falta de tal segurança jurídica estaria engessando o setor produtivo.

Nesse sentido, um possível veto da presidente Dilma Rousseff traria muitos transtornos à economia brasileira: “a presidente Dilma está mal informada, o governo está sendo informado só de um lado, não está ouvindo o setor produtivo, isso é muito ruim”, alerta o deputado.

Como o governo teme outra derrota na Câmara dos Deputados, ele tem adiado o assunto desde a semana passada. Não há consenso sobre a polêmica das áreas consolidadas que estão em APP, por isso a pauta não tem entrado em votação. A lei atual exige um recuo de 30 metros nas margens de rios de qualquer tamanho. Já o texto aprovado no Senado Federal exige, no mínimo 15 metros, metragem que aumenta de acordo com a largura do rio.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Marcelo Soares Rocha pedras altas - RS

    João Batista, o Deputado Valdir Colatto é um guerreiro! Mas ele sabe que sozinho não faz importância, ante ao número dos seus opositores. E, diante de tal circunstância, resta buscar o menor prejuízo para o produtor e à Nação, o que infelizmente vai acontecer. Veja ao ponto que chegamos a nosso regime político de Governo, em que a maioria da população(representada pelos políticos)é contrária aos interesses da Nação, e, consequentemente, aos si próprios.

    0