DA REDAÇÃO: Exigência da Monsanto sobre soja Intacta ainda não atinge produtores do RS

Publicado em 14/10/2013 19:19 e atualizado em 14/10/2013 20:13
593 exibições
Cobrança abusiva: Exigência da Monsanto não atinge produtores gaúchos, onde existe forte movimento contra as cobranças indevidas da empresa. A ausência de apoio por parte das lideranças do setor causa revolta aos produtores.

No Rio Grande do Sul (RS), diversos sindicatos rurais se levantaram contra as exigências da Monsanto, principalmente sobre os royalties cobrados indevidamente na soja RR1 e também nos royalties cobrados sobre a moega.

No caso da exigência da Monsanto de que os produtores abram mão do ressarcimento sobre os royalties da RR1 para comprar a tecnologia Intacta, o Presidente do Sindicato Rural de Soledade (RS), José Samir Lamaison, afirma que, por enquanto, isso ainda não chegou ao conhecimento do sindicato: “Hoje (14) estivemos reunidos com a executiva da Aprosoja RS e se for comprovado que a Monsanto está exigindo isso do produtor rural do estado, a Aprosoja RS e os demais sindicatos entrarão com uma ação contra a empresa”.

Além disso, os agricultores do país também enfrentam outro problema que é a intenção de alguns parlamentares mudarem o direito dos produtores de salvarem a sua semente, assim como está contido na Lei de Proteção de Cultivares (LPC). Samir diz que todos estão muito preocupados com essa situação: “Atualmente, com os problemas que as multinacionais estão enfrentando em relação à cobrança de royalties indevidos, inclusive na moega, as empresas tentam manipular a transformação da Lei dos Cultivares para não perder esse direito”.

Os produtores do RS não se omitem em pagar pela tecnologia, mas acreditam que o preço deve ser pago na semente, sem abuso por parte das empresas.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário