DA REDAÇÃO: Milho – Em Assis Chateaubriand (PR), excesso de chuvas pode afetar produtividade das lavouras

Publicado em 22/04/2014 11:32 e atualizado em 22/04/2014 15:59 609 exibições
Milho: Excesso de chuvas preocupa produtores de Assis Chateaubriand (PR) e pode afetar a qualidade dos grãos. A ocorrência das precipitações também pode ocasionar o aparecimento de doenças foliares e radiculares. Saca é negociada a R$ 24,00 no mercado futuro, mas negócios seguem lentos.

Na região de Assis Chateaubriand (PR), os produtores estão preocupados com o excesso de chuvas nas lavouras de milho safrinha. Desde o início do mês de abril, as precipitações têm ocorrido com certa frequência, situação que pode afetar a qualidade dos grãos.

Segundo o produtor rural do município, Edson Martins Jorden, cerca de 50% das lavouras de milho está em fase de polinização, estágio no qual as chuvas têm grande importância. Entretanto, as precipitações excessivas podem prejudicar as plantas e facilitar o aparecimento de doenças foliares e radiculares.

“Com o excesso de umidade, os fungos podem entrar mais facilmente nas lavouras. Precisamos de luminosidade nas plantas, caso contrário teremos a morte dessas plantas, ocasionadas por doenças radiculares”, explica o produtor.

Frente a esse cenário, a expectativa é de redução na produtividade das lavouras de milho. A expectativa inicial de colheita era entre 180 a 200 sacas de milho por alqueire. Ainda conforme o produtor, caso o tempo volte a firmar, algumas lavouras ainda poderão alcançar essa projeção. 

Até o momento, as previsões climáticas apontam para o retorno do sol nos próximos dias, que caso se confirme poderá contribuir para o desenvolvimento das lavouras. No entanto, para essa terça-feira, a previsão era de 12 mm de chuvas, porém, as precipitações já ultrapassaram 50 mm. 

Além dos problemas climáticos, os produtores também relatam os problemas com o surgimento de doenças, como a ferrugem, e também de pragas, como o percevejo barriga verde e as lagartas.  Consequentemente, os custos de produção já aumentaram nesta safra.

Por outro lado, as cotações do cereal para negócios a futuro giram em torno de R$ 24,00. “Mas os produtores estão cautelosos em relação à comercialização, o agricultor está apostando em preços mais altos, caso o clima seja desfavorável ao desenvolvimento da safrinha. Ainda assim, temos entre 40 a 50% da safra do ano passado para ser negociada”, finaliza Jorden. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário