DA REDAÇÃO: Cenário macroeconômico traz influência negativa às cotações do boi

Publicado em 04/08/2011 13:07 e atualizado em 05/08/2011 09:27 629 exibições
Boi: mais um dia de mercado tenso para as commodities e o boi não ficou de fora. No médio prazo, a demanda interna por carnes pode fazer a diferença, no entanto é preciso saber se o brasileiro está propenso ao consumo e que preços pagaria.
As commodities agrícolas já reagem negativamente às inseguranças do cenário macroeconômico. No caso do boi não é diferente. As cotações futuras na BM&F caíram para os patamares dos R$104/@ diante do auge dos quase R$ 109/@ verificado na última semana.

A analista de mercado da Indusval Corretora, Renata Fernandes, explica que a preocupação vem das exportações de carne do Brasil, que podem ser afetadas com o possível comprometimento do desempenho das atividades econômicas daqui para frente. Especula-se que os embarques de carne brasileira podem perder ainda mais competitividade no cenário mundial.

Para a analista, os patamares de R$ 104/@ ainda encoraja o produtor a fazer a trava de preços. Abaixo disso, pode haver um desestímulo para o hedge e até mesmo para fazer o segundo turno do confinamento. "Se o produtor está com cocho fechado e não travou isso me preocupa um pouco", acrescenta.
 
No mercado físico, a oferta de animais ainda é pequena e os bois de confinamento, que apesar de ainda aparecem em baixo volume, já começam a ser negociados. Ainda que a expectativa do aumento de 34% no volume de confinados neste ano se comprove, Fernandes acredita que não é a questão da oferta que ditará o tom do mercado e sim a demanda por carnes. Para ela, o consumo interno pode fazer a diferença no médio prazo, no entanto é preciso saber se o brasileiro está propenso ao consumo e que preços pagaria.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário