Preços do feijão carioca sobem 100% em uma semana com menor oferta. Outros feijões como preto e caupi também reagem

Publicado em 19/05/2017 11:39 e atualizado em 19/05/2017 14:32
2414 exibições
Na manhã desta sexta-feira já foram registrados negócios de até R$ 350,00 / saca
Confira a entrevista com Marcelo Lüders - Correpar

Podcast

Marcelo Lüders - Correpar

Download

Os preços do feijão carioca dispararam em relação à semana passada, com vendas relatadas de até R$350, em função de um mercado sensível ocasiosando por geadas trazendo problemas para a safra do Paraná, com a avaliação da extensão do dano já realizada.

Este dano aparece em forma de produtividade menor. Como este é o único estado que possuía um maior volume de feijão a ser disponibilizado, todos os compradores voltaram os olhos para este movimento.

Restaram apenas 600 mil toneladas para a segunda safra. Na primeira safra, foram consumidas 800 mil toneladas de feijão. Em algum momento, essa diferença também se fará presente no mercado.

No ano passado, o limite de preços chegou a R$500. Entretanto, o analista de mercado Marcelo Lüders, da Correpar, aponta que a tendência no momento é estável, com alguma pequena alta ainda em curso. Até a terceira safra, ainda haverão momentos de rally de preços.

Em função do aumento dos preços para o feijão carioca, o feijão preto já encontra uma alta para R$140 e o feijão caupi, que vinha caindo, se estabiliza entre R$65 a R$70.

Informações sobre o mercado de pulses

O analista de mercado Marcelo Lüders, da Correpar, está em um encontro na cidade de Toronto, no Canadá, com empresas de diversos países como China, Austrália, Turquia, Estados Unidos, México, Paquistão, Índia e Canadá, para participar de uma rodada de discussões e conversas sobre o mercado de pulses neste ano.

As informações serão repassadas no Fórum Nacional do Feijão e Pulses, que será realizado nos dias 21 a 23 de junho em Campinas (SP). Para mais informações, acesse:

www.forumfeijao.com.br

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário