Custo de produção na avicultura deve subir ainda mais em março, chegando a R$ 3,20/kg da ave viva

Publicado em 18/03/2020 16:51
1085 exibições
Preços dos principais insumos de alimentação avícola, milho e farelo de soja, estão com valores altos e sem previsão de recuarem; coronavírus traz incertezas ao mercado
Érico Pozzer - Presidente - APA

Podcast

Entrevista com Érico Pozzer - Presidente - APA

Download

LOGO nalogo

Nesta terça-feira (17) a Embrapa Suínos e Aves divulgou balanço mostrando que o custo de produção do quilo do frango de corte vivo, tomando por base o estado do Paraná, passou de R$ 3,01 em janeiro para R$ 3,07 em fevereiro, sendo o valor mais alto desde junho de 2016. Entretanto, de acordo com o presidente da Associação Paulista de Avicultura (APA) , Erico Pozzer, este valor pode chegar perto dos R$ 3,20 em março.

Segundo ele, com um custo desses, despesas de transporte, entrega, custos de processamento no abatedouro, frente aos preços pagos, "não cobre os custos, é prejuízo". 

"A saca de 60kg milho de Campinas está em torno de R$ 56, se trouxer de mais longe, como Assis, beira os R$ 60. Farelo de soja, R$ 1500, R$ 1600 a tonelada. Isso é ração para cavalo de raça, nunca se registrou isso" disse. 

De acordo com o presidnete da APA, o que pode acontecer, em um primeiro momento, é um prejuízo grande para o avicultor, e depois, adequação do mercado. A questão do coronavírus complica um pouco mais, gerando dúvidas se haverá aumento ou redução de consumo, ou exportação. 

"Por enquanto, está tudo sob controle, embora com preços que não reuneram, exportação normal, China voltando às atividades, mas em contrapartida o problema agora é na Europa e aqui. É um momento de incerteza, de custos elevadíssimos que não devem baixar no curto prazo, ao menos até a safra de inverno, e a conta não fecha".

 

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário