Publicidade

Em Pato Branco (PR), temperaturas chegam a -6ºC e geada ocorre pela 2ª madrugada seguida

Publicado em 09/06/2016 11:19 710 exibições
Evento climático não afetou a produção de milho safrinha na região, já que muitas lavouras estão em fase final de maturação. Geada ainda deve ocorrer nos próximos dias. Produtores iniciam a colheita do milho, com produtividade entre 80 scs/ha até 120 scs/ha. Preços giram em torno de R$ 45,00 a saca. No trigo, área destinada ao cereal deve cair 20% nesta safra.

Com temperatura de -6°C na madrugada desta quinta-feira (9) a o município de Pato Branco (PR) registrou a segunda geada consecutiva.

Segundo as previsões todo o estado deve continuar com condições de formação de geadas até o início da próxima semana. O Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná) informou que o sistema está se deslocando para áreas de importantes áreas de produção do milho safrinha.

Apesar da preocupação quanto à queda no potencial produtivo com a baixa na temperatura, o presidente do sindicato rural de Pato Branco, Oradi Caldato, afirma que "o milho já na fase final, iniciando a colheita, então os prejuízos são mínimos e não chegam a 5%", explica.

As maiores perdas foram registradas na geada que ocorreu há aproximadamente 40 dias atrás onde as lavouras se encontraram em um cenário mais crítico de desenvolvimento.

Para Caldato a produtividade média da segunda safra do cereal, neste ano, deve ficar próximo das 100 sacas por hectare.

Paralelamente, os preços do milho continuam em alta na região. A saca de 60 kg está sendo comerciada a R$ 45,00 no disponível.

Essa alta desde o início do ano, o milho já traz reflexo para o setor granjeiros do estado. Suinocultores e avicultores relatam a dificuldade de arcar com o alto custo da ração.

Publicidade

E embora a alta beneficie os agricultores, Caldato ressalta que no "no médio e longo prazo esse cenário não é bom e irá provocar um desequilíbrio na cadeia, que será pago - lá na frente - pelo produtor de grãos", alerta.

Trigo

Ao contrário das lavouras de milho, a cultura do trigo que começa a ser implantada na região se beneficia com as geadas.

"Houve um atraso no início do plantio em função das chuvas que caiam, mas em poucos dias acreditamos que toda a área estará plantada", explica o presidente.

Neste ano a área destinada para a cultura deve cair 20% devido ao baixo preço, falta de estimulo e os riscos de perdas.

Atualmente, a disputa de oferta entre as moageiras e as indústrias de ração elevação o preço em todo o país. Na região a saca do trigo é comercializada a R$ 45,00.

Por:
Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário